ACOMPANHE-NOS    
MAIO, SEXTA  27    CAMPO GRANDE 26º

Comportamento

Bruno vende apostilas porque precisa conseguir R$ 150 em 2 dias

Ele diz que criou sozinho apostilas para concursos públicos e busca dinheiro para pagar aluguel

Por Ângela Kempfer | 29/01/2022 07:30
Bruno na frente do computador, onde produz as apostilas. (Foto: Marcos Maluf)
Bruno na frente do computador, onde produz as apostilas. (Foto: Marcos Maluf)

Até domingo, Bruno Jardim de Oliveira precisa juntar R$ 150,00. Hoje pela manhã, eram R$ 300, mas ele saiu batendo de porta em porta pedindo divulgação do seu trabalho e conseguiu juntar 50% do valor. Mesmo com apenas o Ensino Médio completo e sendo ex- instalador de acessórios de carros, se tem uma coisa que ele diz entender é de concurso público. “Há anos me preparo.”

Desempregado há 5 meses, surgiu então a ideia de aproveitar a experiência de tantas tentativas de conquistar uma vaga no serviço público para produzir apostilas, com questões que para ele eram negligenciadas em outros materiais feitos para “concurseiros”.

O material é bem simples, mas a “pequena empresa” tem até nome: Elektrus Questões - O Rachador de Questões. Não dá para saber se ele compila material ou cria. Mas Bruno assegura que tudo sai da cabeça dele.

“Por exemplo, o concurso da Câmara Municipal de Campo Grande não tinha questões sobre o estatuto do servidor em lugar nenhum. Aí, resolvi fazer 100 questões sobre isso, colocar no PDF e vender por R$ 30,00, pelo Whats, pen drive ou impresso, eu mesmo levo na casa da pessoa”.

Bruno mostra troca de mensagem de aluno que teria ficado satisfeito. (Foto: Marcos Maluf)
Bruno mostra troca de mensagem de aluno que teria ficado satisfeito. (Foto: Marcos Maluf)

Bruno nem se importa se alguém compartilhar o material com outros sem pagar nada. “Aí eu também tô ajudando, né”, diz.

Ele se vira como pode, porque precisa do dinheiro para alugar uma casa nova. “A dona pediu essa onde eu vivo hoje no Parati”, justifica. O lugar é simples, mas nem botijão de gás tem mais. A família abriu mão e montou um fogão a lenha improvisado. "Os primeiros 2 meses sem emprego até que deram para tocar, mas nos 3 últimos, tá muito difícil".

Além da Câmara, ele já produziu material com questões para concurso da UFMS (Universidade Federal de Mato do Sul) e da UFGD (Universidade da Grande Dourados). “Eu foco na legislação, que quase nunca tem banco de questões disponível”.

O da UFMS ficou pronto em 3 dias, mas o da  Câmara demorou 3 meses, garante.

Até a próxima segunda, ele tem de sair da casa onde vive com a esposa e dois filhos. A caçula tem apenas 8 meses. "Por isso, minha mulher teve de sair do emprego, porque não tinha carteira assinada e agora, tem de cuidar da bebê”, relata.

Para quem quiser ajudar Bruno comprando apostilas ou apenas ajudar, o telefone é 67 99974-5967.

Família hoje cozinha em fogão a lenha improvisado, porque teve de vender o botijão de gás. (Foto: Marcos Maluf)
Família hoje cozinha em fogão a lenha improvisado, porque teve de vender o botijão de gás. (Foto: Marcos Maluf)


Nos siga no Google Notícias