A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 26 de Maio de 2019

01/01/2019 08:14

Com Pedro no colo, Marina decidiu voltar a cantar seu modão sertanejo nos bares

O último fim de semana foi a primeira vez que Marina levou Pedro para um show e a imagem fofa ganhou as redes sociais.

Gustavo Maia
Pedro Gusttavo chegou para fazer parte da dupla sertaneja. (Foto: Reprodução/Facebook)Pedro Gusttavo chegou para fazer parte da dupla sertaneja. (Foto: Reprodução/Facebook)

Para quem acompanha o trabalho da dupla sertaneja Breno Lucas e Marina, pelos bares de Campo Grande, temos uma má notícia: a dupla chegou ao fim. Isso mesmo. Pedro Gusttavo entrou na parada e agora eles são um trio. Até aí nada de novo na rotina sul-mato-grossense, onde cantor sertanejo é mato. Porém, a história é um pouco diferente. Pedro tem apenas um mês de idade.

Breno Lucas, que na verdade se chama Elton Cardoso, de 25 anos é o pai, e Marina Bueno, de 23, a mãe do novo integrante da cena sertaneja de Campo Grande. O último fim de semana foi a primeira vez que Marina levou Pedro para um show do casal e a imagem fofa ganhou as redes sociais.

“Ah, levei pra ele conhecer o ambiente, ver como ia ser a reação dele”, conta ela, que se surpreendeu com a tranquilidade do bebê. “Eu nem acreditei, ele dormiu o show quase todo”. E a agenda do trio não para. O pequeno só não acompanha os pais quando o lugar é demais para o garotinho. “Tabacaria não rola. Agora só ambientes mais abertos, com horário mais tranquilo. Ele acaba sendo nosso empresário. Ele que decide a hora e o lugar que a gente pode tocar”, brinca ela.

Marina diz que o público aprovou a parceria e também ficou surpreso com a naturalidade que Pedrinho mostrou durante a apresentação dos pais. “As pessoas curtiram. Todo mundo comentou ‘nossa que lindo, vocês cantando e ele continua dormindo’ porque ele não se incomodou em nenhum momento”, garante.

Foto da mamãe sertaneja viralizou. (Foto: Direto das Ruas)Foto da mamãe sertaneja viralizou. (Foto: Direto das Ruas)

Cantando na noite há três anos, há dois ela veio de Maringá com o esposo Elton. Ela conta que a música teve papel de destaque na história deles desde o início do namoro. “A gente se conheceu em barzinho, cantando lá em Maringá. Ele já tocava com um parceiro, e num desses eventos que fazia ali na região, ele me convidou pra cantar com ele. De lá pra cá a gente nunca mais se separou”.

Sobre o estilo da dupla, ela explica que hoje o artista precisa fazer de tudo um pouco para viver da arte. “Normalmente a gente não segue só uma linha, vai do modão sertanejo ao universitário. Claro que no final da noite sempre tem alguém que pede pra gente tocar outro estilo, daí a gente acaba fazendo pra agradar. Toca rock, toca música internacional”, conta ela.

Ela continuou cantando durante toda a gravidez e só parou quando Pedro nasceu. “A gente tocou até os nove meses, aí quando não deu mais eu parei. Por isso que ele não fica incomodado, ele já é acostumado desde quando estava dentro da barriga, e a gente também ouve muita música em casa”, explica ela. Mas é importante registrar, antes que os fiscais da internet apareçam, que Marina também tomou alguns cuidados para não prejudicar a saúde do bebê: “eu comprei um fone de ouvido, daqueles de tecido, pra proteger o ouvidinho dele”. Além disso, ela explica que a dupla agora precisa se posicionar sempre em lugares abertos, por conta da acústica, e usar o som de retorno mais baixo, deixando o som alto voltado apenas para o público.

Dupla Breno Lucas e Marina. (Foto: Reprodução/Instagram)Dupla Breno Lucas e Marina. (Foto: Reprodução/Instagram)

Elton chegou a duvidar que a ideia daria certo, mas foi na onda da mãe e topou a ideia de tocar com o filhinho. “No começo ele ficou meio com medo do neném não aceitar, da gente não conseguir fazer o show, dele começar a chorar, mas ele se surpreendeu com a reação do Pedro. Às vezes eu estou no meio de uma música e ele quer mamar, aí não tem o que fazer. Mas eu continuo cantando, ninguém percebe”, conta Marina, que já estava ansiosa para voltar a cantar. “O tempo que eu fiquei parada, não via a hora de voltar pro palco, voltar a tocar nos bares. Eu não me vejo em outra profissão”, confessa. Ela relata que durante a gravidez, em nenhum momento pensou em desistir da carreira, que sempre foi seu sonho desde criança. “Acredito que meu filho vai me apoiar. Eu não pensei em parar, pensei sim em me adaptar. Porque eu sempre sonhei em trabalhar com música, desde quando eu era pequena. Minha mãe fala que eu nem sabia o que era música ainda e já queria cantar”, lembra ela.

Sobre a amamentação em público ser encarada hoje como um ato político, ela levanta a bandeira: “Eu me vejo inteira na causa feminista. Eu defendo essa tese de que a mulher tem que fazer o que ela gosta, não tem que dar ouvido só ao que as pessoas dizem. Ainda mais agora que eu sou mãe, toda hora ouço de alguém que eu tinha que estar em casa. Mas eu não sou muito de ficar esperando pelos outros, eu vou fazer o que eu gosto de fazer. E a mulher não nasceu pra ficar dentro de casa coisa nenhuma”, argumenta.

Curta o Lado B no Instagram e no Facebook.



imagem transparente

Classificados


Copyright © 2019 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.