ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUINTA  22    CAMPO GRANDE 21º

Comportamento

Comovidas com pedido de socorro, mulheres fazem chá de bebê no Parque

Por Thailla Torres | 24/05/2016 06:25
Teve até desenho na barriga em tarde de festa no parque.
Teve até desenho na barriga em tarde de festa no parque.

Não existe falta de tempo para um gesto solidário. Pedido de socorro de uma mãe que está grávida de 8 meses levou muitas mulheres a chá de bebê coletivo no Parque das Nações Indígenas no domingo. Cristiane De Oliveira Martins, de 17 anos, grávida do segundo filho, pediu ajuda em grupo de vendas no Facebook, e conseguiu mobilizar mais do que precisava.

A iniciativa deu tão certo que o número de arrecadações foi mais do que o esperado. Agora, a ideia é organizar novas campanhas de doações a gestantes carentes.

A adolescente conta que falta cerca de uma semana para dar a luz e o desespero veio à tona quando viu que não tinha quase nada para o filho Artur. “Tinha somente algumas roupinhas e fiquei imaginando esse tempo frio.”

A jovem é de família humilde, desempregada, e não pensou duas vezes em pedir ajuda. No início temia pelas críticas, mas se surpreendeu com o número de pessoas desconhecidas querendo ajudar. “Infelizmente tem gente que prefere julgar, mas eu nem quis discutir e só pensei no bem estar do meu filho. Escolhi ser sincera, pedindo ajuda e acho que não cometi um erro”, declara.

Isabela Carvalho, de 22 anos, é mãe de uma criança de 9 anos e quando viu a postagem de Cristiane ficou tocada a ajudar. “Mesmo sem conhecer, eu quis fazer alguma coisa por ela. A gente é mãe e sabe como é esse momento”, conta.

Cristiane ganhou enxoval e um chá de bebê animado das novas amigas.
Cristiane ganhou enxoval e um chá de bebê animado das novas amigas.

As arrecadações começaram no Whatssap. Ali, conseguiram carrinhos de bebê, berços, cobertores, fraldas e roupas para recém nascido. Para que a entrega não passasse em branco, um chá de bebê foi realizado a céu aberto, com direito a bolo e brincadeiras.

“Fizemos de coração e sem pedir nada em troca. No fim, a gente ficou feliz de ver o sorriso dela e agora decidimos que vamos ajudar outras mães da cidade”, completa Isabela.

Wanessa Correia, de 32 anos, também foi uma das colaboradoras. “Muita gente criticou, mas nós ficamos emocionadas com a sinceridade dela e acho que há um momento em que devemos ficar muito felizes ao ver outra pessoa sorrir”, diz.

Apesar da honestidade da mãe, as organizadoras também tiveram que lidar com a falta de sensibilidade de alguns. “A gente se organizou e ia de casa em casa fazer as arrecadações, ainda assim teve gente que dava endereço errado e a gente ia parar no meio do nada”, conta.

Apesar do medo, nada fez as mães desistirem da ação que trouxe paz para Cristiane. Agora, elas organizam uma próxima edição e quem desejar fazer doações ou participar dos trabalhos pode entrar em contato pelo telefone 9157-2748. 

Curta o Lado B no Facebook

Arthur chegará ao mundo com o que precisa.
Arthur chegará ao mundo com o que precisa.
Nos siga no Google Notícias