A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 21 de Setembro de 2018

08/07/2017 13:00

Depois de 30 anos na PM, policial é escoltado por amigos na volta para casa

Thailla Torres
Tenente Delazari ao lado da família. (Foto: 10º BPM)Tenente Delazari ao lado da família. (Foto: 10º BPM)

Foram 30 anos dedicados à rotina intensa da Polícia Militar. Mas na última segunda-feira, o tenente Luís Paulo Delazari, de 50 anos, cumpriu sua última missão. Como agradecimento, os amigos do 10º Batalhão da Policia Militar providenciaram uma homenagem à altura e fizeram a escolta dele no fim do expediente para ''devolver' o PM à família.

A ideia partiu da família, mas teve na hora o apoio da capitã e amiga, Cleide Maria da Silva, de 44 anos. "Todo policial que vai para reforma, precisamos agradecer pela missão cumprida. e o Luis sempre foi muito disposto e competente. São 30 anos de serviços, mas ele tem o gás de um menino que acabou de se formar. Nunca abriu mão do trabalho em nenhum momento", reforça a capitã.

Até quando não precisava mais, ele atendeu a pedidos dentro do batalhão. "Ele se aposentou na sexta-feira. Mesmo assim, pedimos que ele fosse ao trabalho na segunda-feira e ele não recusou. Quando chegou lá estava todo mundo esperando para dar início a homenagem que foi uma surpresa", conta Cleide.

A escolta durou cerca de 2 minutos, finalizada com abraços e a entrega de um certificado. Em seguida, todos voltaram ao trabalho. "Durou pouco, justamente para ninguém se ausentar. Foi apenas uma homenagem em forma de agradecimento pela dedicação e principalmente pela vida do Delazari"

O "devolver" para a família, tem um significado especial para quem trabalha na Segurança Pública. "Essa homenagem é importante porque muitas família sofrem com a ausência deles. E muitas vezes a polícia entrega o policial morto às famílias, com homenagens fúnebres por conta da violência que a gente sabe que existe", lamenta Cleide.

Emocionado, o policial homenageado destaca que o policiamento é missão dada que deve ser cumprida. "Tem que ter dedicação e sempre fiz com muito amor. Agora vou seguir novos caminhos, viajar com a família e quem sabe trabalhar no ramo da alimentação que eu também gosto", finaliza.

Ele agradece a homenagem e acredita que é uma sorte chegar a tanto tempo de carreira. "Ser policial não é fácil diante de tantas dificuldades. Nos anos 90 passei por muita coisa, mas nunca desiste da profissão. Em Campo Grande sempre trabalhei em áreas com índice de violência mais alto e tudo que a gente encontra acaba levando como reflexão sobre o combate a violência", descreve o tenente.

Confira a homenagem registrada em vídeo:



imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.