ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, TERÇA  16    CAMPO GRANDE 28º

Comportamento

Ex-pastor diz que arrombou armário para ser o gay mais feliz do mundo

Exausto do preconceito, Vinicius rasga o verbo e diz que vai celebrar sua saída do armário com festão

Por Thailla Torres | 05/07/2022 06:58
O empresário cresceu em um lar cristão evangélico, é filho e neto de pastor e passou mais de 30 anos envolvido com a igreja. (Foto: Alex Machado)
O empresário cresceu em um lar cristão evangélico, é filho e neto de pastor e passou mais de 30 anos envolvido com a igreja. (Foto: Alex Machado)

Expansivo, extravagante, exagerado e feliz. São esses adjetivos que o empresário e ex-pastor Vinicius Felix, de 33 anos, usa para descrever como ele é desde o dia 1º de julho de 2021, o dia em que decidiu sair do armário e dizer ao mundo que é gay. Na verdade, nas palavras de Vinicius, ele “arrombou o armário”.

“Arrombei o armário porque eu não fiz questão de ser suave. Divorciei num dia e no outro dia eu estava na balada. Eu não tive medo de me expor e nem de mostrar quem eu era”, conta Vinicius.

O empresário cresceu em um lar cristão evangélico, é filho e neto de pastor, passou mais de 30 anos envolvido com a igreja e foi pastor dos 17 aos 31 anos. Foi no auge da sua carreira ministerial que ele decidiu que estava na hora de ser 100% feliz e acabar com a farsa.

“Conheci minha ex-esposa aos 14 anos, foram 8 anos de namoro e 10 anos de casamento, casamos virgens e começamos nossa história ministerial juntos. Em nosso noivado compartilhei que tinha atração homoafetiva, mas nós fizemos uma escolha um pelo outro. Sustentamos essa escolha durante alguns anos, só que as coisas começaram a mudar dentro de mim”, lembra.

Foi no auge da sua carreira ministerial que ele decidiu que estava na hora de ser 100% feliz. (Foto: Alex Machado)
Foi no auge da sua carreira ministerial que ele decidiu que estava na hora de ser 100% feliz. (Foto: Alex Machado)

Vinicius diz que nunca precisou dizer às pessoas que não era gay. “Era fato, todo mundo sabia ou percebia. Mas eu fiz uma escolha pela fé, fiz uma renúncia diária pela vida que eu escolhi viver naquele momento”.

Só que em 2019 uma chave virou e mudou tudo. Vinicius teve sua primeira relação gay que durou três meses. Uma relação que veio à tona depois que ele resolveu contar para a esposa e até membros da igreja.

“Eu confessei e pedi perdão à ela. Ela me perdoou e ficamos mais um ano e meio casados. Mas eu não consegui ser mais o mesmo dentro do casamento. Foi uma mudança aos poucos. Quando eu decidi pelo divórcio era uma quarta feira, 1º de julho de 2021. Já estávamos como amigos e não tínhamos mais uma relação de marido e mulher”, descreve Vinicius.

Ele sabia que a decisão de dizer a todos é gay teria consequências. Para família, membros da igreja e amigos a orientação sexual de Vinícius  não foi bem vista. “Foi um baque para todo mundo. Eu sabia que todas as estruturas iam quebrar à minha volta. Tudo desabou, da família ao financeiro, afinal, eu era da igreja, ministrava, tinha salário, mas perdi tudo”.

Vinicius diz que daquele momento em diante, mesmo com a distância de pessoas que ele sempre teve por perto, ele sentiu que estava no caminho certo. “Eu queria destruir essa imagem de pastor que estava na cabeça das pessoas. Eu precisava que elas me olhassem como o Vini. Por isso, eu precisei abrir mão da igreja, abrir mão de ser pastor, de projetos futuros”.

"Antes eu tinha que ficar reprimido, hoje eu não tenho que me frustrar", diz Vincius. (Foto: Alex Machado)
"Antes eu tinha que ficar reprimido, hoje eu não tenho que me frustrar", diz Vincius. (Foto: Alex Machado)

Para dar conta da pressão presente em “sua nova vida”, Vinícius procurou ajuda psicológica. “Minha terapia não foi para me assumir ou me expor. A minha terapia foi porque eu tinha um senso de valor atrelado a minha função pastoral e não a minha identidade. As pessoas amavam o pastor  Vini, mas no dia que eu deixei de ser pastor eu fui abandonado. Precisava lidar com esse abandono. Com a imagem que colocaram sobre mim do pastor canalha que abandonou a esposa e com coisas que ouvi até no Natal”.

Meses depois, uma ligação da ex-esposa fechou um ciclo na vida de Vinicius. “Ela me disse que perdoava e desejou que eu fosse muito feliz. Naquele momento, ao ouvir a voz dela, eu fiquei pleno. Ela até brincou que se soubesse que eu fosse ser uma bicha louca que vai de cropped para balada teria me ensinado a se auto maquiar. Isso foi um máximo. Ela é maravilhosa”.

Durante meses, Vinícius também teve dificuldades de se encontrar no movimento LGBTQIA+, até que encontrou um amor que compreendia seu jeito extravagante de ser e topou caminhar de mãos dadas com ele. “Hoje namoro, me sinto pleno e realizado. Ainda estou no processo de mergulhar em mim, mas antes eu tinha que ficar reprimido, hoje eu não tenho que me frustrar", diz.

Meu mundo gay é uma uma casa onde o vocabulário, as brincadeiras e o rolês parecem ter colado em mim. Hoje eu me sinto livre e seguro, junto com a minha família de viadice”, completa o ex-pastor Vinicius.

Para celebrar tamanha conquista, este mês ele diz que vai fazer uma festa de aniversário para comemorar 1 ano de saída do armário, com direito a performance e muita purpurina em seus convidados. E o Lado B estará lá para celebrar com ele e mostrar todos os detalhes da festa aqui.

Acompanhe o Lado B no Instagram @ladobcgoficial, Facebook e Twitter. Tem pauta para sugerir? Mande nas redes sociais ou no Direto das Ruas através do WhatsApp (67) 99669-9563 (chame aqui).

Nos siga no Google Notícias