A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 19 de Maio de 2019

10/04/2019 08:12

Félix demorou 26 anos para chegar a Adão e Eva e completar árvore genealógica

Após muita pesquisa, o corretor de imóveis deslanchou a montagem da linhagem com ajuda de familiar de MG e plataforma Family Search

Danielle Valentim
Félix trata a pesquisa genealógica como forma de unir seus antepassados. (Foto: Kísie Ainoã)Félix trata a pesquisa genealógica como forma de unir seus antepassados. (Foto: Kísie Ainoã)

Índios brasileiros, reis franceses, Abraão, Isaac e Jacó... O corretor de imóveis Félix Baptista, de 65 anos, atingiu uma das metas de vida: completar a linhagem da mãe em uma árvore genealógica. A busca durou 26 anos, até que com a ajuda da internet e de um parente de Minas Gerais chegou a Adão e Eva, em apenas oito meses.

Ajuda com informações é o que o move o trabalho genealógico. Felix ressalta que sem o apoio do familiar de Minas ou do banco de dados disponibilizado no site Family Search talvez a pesquisa levasse mais longos anos. Parece impossível, mas Felix continuará seu trabalho para completar a linhagem paterna.

Nas imagens da árvore genealógica que o Lado B teve acesso mostra o topo da árvore com Adão e Eva, dois dos filhos Seth e Azura e parte dos netos Enos e Noam. 

Adão e Eva, dois dos filhos Seth e Azura e parte dos netos Enos e Noam.Adão e Eva, dois dos filhos Seth e Azura e parte dos netos Enos e Noam.

Quatro mil anos depois mostra Yeshua - Jesus Cristo - e Maria Magdalena foram casados e que tiveram uma filha chamada Sarah. Ainda conforme os registros, Sarah foi casada com o príncipe Antenor Of West Franks, filho do rei e rainha Clodomir III e Hafaeida Di Rugij.

Além disso, 2051 anos antes de Cristo mostra a linhagem de Abrão e Sarah-Sarai. O casal teve Isaac, que se casou com Rebekah e tiveram Jacob. 

Quatro mil anos depois mostra que Jesus Cristo e Maria Magdalena foram casados e que tiveram uma filha chamada Sarah. (Foto: Kísie Ainoã)Quatro mil anos depois mostra que Jesus Cristo e Maria Magdalena foram casados e que tiveram uma filha chamada Sarah. (Foto: Kísie Ainoã)
No canto esquerdo Abram, Isaac e Jacob.
(Foto: Kísie Ainoã)No canto esquerdo Abram, Isaac e Jacob. (Foto: Kísie Ainoã)

Já em tempos atuais, ou nem tanto, a linhagem liga Félix ao Cacique Tibiriçá e Potira, que nos galhos da árvore tiveram como filha Maria da Grã Terebé Tibiriçá, que foi casada com Pedro Dias. O cacique foi um importante líder indígena tupiniquim dos primórdios da colonização portuguesa do Brasil, no entanto, era aliado dos portugueses.

A linhagem traz muitos nomes da história brasileira, espanhola, portuguesa, alemã entre outras. Entrar nesse tipo de pesquisa é um caminho sem volta, afinal, as forças para continuar se renovam a cada descoberta. 

Na imagem, Tibiriçá e Potira. (Foto: Kísie Ainoã)Na imagem, Tibiriçá e Potira. (Foto: Kísie Ainoã)

O corretor conta que sempre se interessou por genealogia, mesmo antes de crer na importância espiritual da pesquisa de seus antepassados. Ele conta que um primo de Araçatuba foi o primeiro familiar a fazer pesquisas de família.

“Esse meu primo chegou a pagar um historiador para montar a história da Família Moraes, que é da minha mãe. Eu sempre gostei de genealogia, mas só fui começar a fazer mesmo depois que me tornei membro de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Mesmo com a ânsia de poder incluir meus antepassados nas ordenanças da igreja, o trabalho não fluía, chegava no máximo na quarta geração. Só depois que esse meu parente me mandou um e-mail eu comecei ir abrindo e deslanchou e cheguei até a Adão. Isso em oito meses”, disse.

O banco de dados da plataforma possui zilhões de imagens fotografadas por voluntários em cartórios, igrejas e arquivos históricos espalhados pelo Brasil e dezenas e de outros países pelo mundo. Para facilitar o trabalho de quem pesquisa por antepassados, os cadastrados no site podem “indexar nomes”, ou seja, transcrever informações das fotos para o sistema do site.

Só depois que esse meu parente me mandou um e-mail eu comecei ir abrindo e deslanchou e cheguei até a Adão. Isso em oito meses”, disse."Só depois que esse meu parente me mandou um e-mail eu comecei ir abrindo e deslanchou e cheguei até a Adão. Isso em oito meses”, disse.
Exemplo de como aparecem as fotos tiradas por voluntários em cartórios do Brasil. (Foto: Danielle Valentim)Exemplo de como aparecem as fotos tiradas por voluntários em cartórios do Brasil. (Foto: Danielle Valentim)

Mais do que história - O propósito da genealógica para Félix e demais membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias é maior que o simples fato de completar a história da família. “Nós acreditamos que as famílias são ligadas e que poderemos viver juntos no mundo vindouro”, disse.

A jovem de 19 anos, Isabella Souza já chegou à quinta geração, ou seja, seus tetravós que são pais de seus trisavós. Para ela, a melhor forma de começar a sua árvore genealógica é buscando informações com seus familiares mais próximos.

“Meu pai já tinha colocado no sistema os meus avós e meus bisavós paternos, mas minha mãe ainda não tinha começado. A partir daí nós começamos a completar a árvore na parte materna e chegamos aos meus tetravós. Durante essa pesquisa recebemos muita ajuda do próprio site que sugeriu possíveis familiares e com informações de lugares que essas pessoas teriam morado, os dados bateram”, explica.

Para Isabella, montar a árvore vai além de nomes, são histórias de seus ancentrais. “Eu acredito que os laços familiares podem ser eternos e que tudo que é ligado na terra também é ligado nos céus, como diz em Mateus 18:18. É uma responsabilidade nossa de unir e coligar Israel, ou seja, uma forma de expandir o evangelho de Cristo na terra”, finaliza.

Qualquer pessoa pode iniciar sua árvore genealógica por meio do site Family Search. Basta se cadastrar e descobrir a linhagem de seus antepassados.

Isabella montando sua árvore em casa. (Foto: Danielle Valentim)Isabella montando sua árvore em casa. (Foto: Danielle Valentim)


imagem transparente

Classificados


Copyright © 2019 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.