A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 24 de Setembro de 2018

21/03/2018 15:31

Kaio é daqui e foi o 1º trans no Brasil a mudar o nome na Certidão de Nascimento

No cartório, o rapaz deu entrada no requerimento aprovado pelo STF na sexta-feira e hoje foi retirar sua nova Certidão de Nascimento

Thaís Pimenta e Miriam Machado
Kaio com sua nova certidão em mãos. Nasci de novo, disse. (Foto: Saul Scharamm)Kaio com sua nova certidão em mãos. "Nasci de novo", disse. (Foto: Saul Scharamm)

Kaio Arantes Borges, de 22 anos, é de Campo Grande e foi o primeiro transgênero do Brasil a procurar o cartório de Serviço Notarial e Registral para mudar seu nome nos documentos. Hoje, por volta das 12h30, foi até o 9º Ofício retirar a sua nova Certidão de Nascimento, do qual tinha dado entrada na sexta-feira (16) passada.

Kaio soube da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que permite que transexuais e transgêneros alterem seu nome no registro civil sem a necessidade de realização de cirurgia de mudança de sexo. A decisão foi acatada pelo Cartório do 9º Ofício de Campo Grande, mesmo sem ter saído no  Conselho Nacional de Justiça (CNJ). "Eu já tinha um processo em andamento do Tribunal de Justiça para mudança do nome, mas ele estava parado", explica.

De acordo com o Tabelião responsável, Lucas Zamperlini, não é preciso nem mesmo laudo psicológico comprovando a identificação com o gênero oposto. “A pessoa preenche o requerimento, paga a taxa de R$ 98,55 e, em cinco dias, o documento está pronto”, explica. O que o cartório tem exigido é a Certidão de Antecendentes Criminais e Certidão Negativa Criminal da Justiça Estadual e a procura pelo serviço tem sido constante.

A partir da Certidão, Kaio vai poder alterar seu RG e seu CPF. “No sistema, o nome já é alterado, mas caso ele queira uma nova via atualizada do documento pode sim retirar”, completa Lucas.

Kaio se emocionou e disse que "nasceu de novo" com sua Certidão de Nascimento em mãos. Ele, que está doidinho para casar com sua namorada, a Bruna Nunes, de 24 anos, brincou dizendo que agora consegue fazer isso de forma menos burocrática. 

Kaio e Bruna com o documentos em mãos. (Foto: Saul Scharamm)Kaio e Bruna com o documentos em mãos. (Foto: Saul Scharamm)

O rapaz desde criança já sentia que era diferente. "A gente só nao sabe dar nome pra essa diferença. Eu corrigia as pesoas mentalmente, mas sempre teve uma coisa que eu achava que era muito loucura da minha parte, enquanto as pessoas não sabem o que é, você não se encaixa em nenhum padrão", explica.

Há três anos o rapaz descobriu o termo transexualidade e foi aí que tudo fez sentido. "Fui pesquisar e se encaixava com tudo que eu sentia. Era tudo isso que eu passava, que eu pensava. me senti aliviado ao sentido que eu fazia parte de alguma coisa, que tinham pessoas no mundo como eu".

Desde o começo da transição, Kaio já estava com Bruna - são quatro anos de relacionamento. "Eu sempre procurei alguém que me apoiasse, me aceitasse, e ela foi essa pessoa desde o início". O primeiro e mais corajoso passo dele foi cortar o cabelo. Só depois contou para seu irmão e para a sua mãe. "Eles me apoiaram sim. Deixaram claro que seria difícil, que se esforçariam, para me chamar pelo novo nome, e eu sei que é mesmo um processo de aceitação demorado. Minha mãe achava que eu era apenas uma menina lésbica, e ficou um tanto surpresa quando comuniquei a transexualidade".

Juntos, eles não esconderam as lágrimas de emoção por Kaio ser o primeiro transgênero a retirar sua certidão atualizada em Cartório. O nome foi escolhido para começa com a letra "k" porque a mãe gosta de nomes assim. "Meu nome antigo nome também começava com essa letra, mas eu não quero falar dele porque já não faz parte do presente", finalizou.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram.

O casal passou por todo o processo de transição junto. (Foto: Saul Schramm)O casal passou por todo o processo de transição junto. (Foto: Saul Schramm)


imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.