ACOMPANHE-NOS    
NOVEMBRO, SEGUNDA  30    CAMPO GRANDE 29º

Comportamento

Mulheres com câncer de mama criam grupo para realizar sonho de ver o mar

Elas são de Campo Grande e decidiram que não deixarão a doença abalar e continuarão lutando por cada dia de suas vidas

Por Alana Portela | 14/02/2020 08:36
Parte do grupo Mulheres de Peito reunida (Foto: Arquivo pessoal)
Parte do grupo Mulheres de Peito reunida (Foto: Arquivo pessoal)

O grupo Mulheres de Peito reuniu 12 amigas com câncer de mama que sonham conhecer o mar. A viagem é uma forma de esperança, para que não se entreguem a doença e sintam-se bem. “Nosso objetivo é apoiar aquelas que precisam de alegria e da nossa amizade”, destaca Rosália Valençoela.

Ela tem 47 anos, é aposentada e há três anos descobriu que estava com câncer de mama. No começo, a notícia assustou, mas agora ela já sabe lidar com a vida. “Não fico mais pensando nisso. Soube do problema durante o banho, quando apalpei o peito e o caroço. O nódulo cresceu até que fiz uma pulsão, depois quimioterapia e mastectomia. Hoje me sinto curada, mas o diagnóstico é que tive metástase e o câncer foi para a coluna e fígado”, conta.

E é na esperança que ela se apega. “Quando estamos nesse tratamento, a gente fica debilitada tanto na parte física quanto psicológica. Algumas se fecham e o nosso grupo é para trazer essa mulher de volta à vida, temos que querer viver e quando estamos juntas, não pensamos na doença e sim em ser felizes”, diz.

As amigas se reúnem para fazer aquele café da manhã (Foto: Arquivo pessoal)
As amigas se reúnem para fazer aquele café da manhã (Foto: Arquivo pessoal)

Essa vai ser a primeira de muitas oportunidades que vão ter de conhecer a praia. “Queremos conhecer várias”, afirma Rosália. A viagem está programada para agosto de deste ano, com destino a Vitória, no Espírito Santo.

O grupo Mulheres de Peito foi criado há quatro anos, por Ivone dos Santos, 60 anos. Ela descobriu o câncer há 17 anos e desde então vem lutando contra a doença. “Com cinco anos da doença me disseram que estava curada, porém depois de 10 anos o câncer voltou e agora está nos ossos. Entrei em desespero, mas passou e foi aí que pensei em fazer algo para apoiar outras mulheres que recebem o diagnóstico”.

É um momento difícil quando o laudo chega até suas mãos, porém num grupo a dor pode ser dividida. “Falamos sobre as dúvidas, os medos e pedimos informações para as amigas. Atualmente temos mais de 50 mulheres no grupo e nos reunimos todo mês para trocar ideias, tomar um café ou realizar uma ação nos hospitais”, conta Ivone.

Elas visitam os hospitais da cidade para acolher todas as mulheres que estão passando pela descoberta do câncer. “Precisamos estar perto, dando nosso apoio para ela se levantar e continuar lutando. Só no ano passado, perdemos cinco amigas e isso é muito triste. Uma delas queria muito conhecer o mar, mas não teve tempo e como muitas do grupo não conhecem, resolvemos dar essa ideia”.

Elas se encontram no shopping para conversar. (Foto: Arquivo pessoal)
Elas se encontram no shopping para conversar. (Foto: Arquivo pessoal)

Ivone sempre viaja, mas imagina a euforia das amigas que nunca tiveram a oportunidade de estar dentro de um avião. “Estou eufórica por elas, foi emocionante quando fecharam o pacote com a gente”.

Enquanto o sonho não se realiza, elas continuam unidas através de um grupo no WhatsApp e realizando trabalhos voluntários nos hospitais. Se precisam de dinheiro, remédio ou apenas de alguém para conversar, todas estendem a mão e contribuem.

Na semana passada, elas se reuniram no shopping para aproveitar alguns minutos juntas, jogando conversa fora e rindo de tudo. Se você mulher que estiver lendo essa reportagem e está passando por um momento difícil como esse, o grupo está de braços abertos para te acolher. Basta entrar em contato pelo número (67) 9 9227-1983.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563 (chame agora mesmo).

Nos siga no Google Notícias