A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 20 de Agosto de 2018

21/12/2016 08:15

Para conhecer o mundo, designer transforma casa da família com 30 anos em hostel

Naiane Mesquita
Jardim traz calma para os hóspedes do Hauzz Hostel (Foto: Naiane Mesquita)Jardim traz calma para os hóspedes do Hauzz Hostel (Foto: Naiane Mesquita)

Construída em 140m², a casa de madeira na Rua Piratininga acolheu durante 30 anos a família de Cleci Costa, 58 anos. Ao lado dos dois filhos, a pantaneira da gema, como gosta de se definir, precisava de uma residência rápida quando teve a ideia de investir nos pré-moldados da época. Em pé até hoje, apesar dos protestos de amigos que achavam maluquice não ter uma morada de alvenaria, o local abriga hoje o Hauzz Hostel.

"Essa casa foi feita em 1991 para ser nossa residência e foi durante muito tempo. Há uns três anos e meio, eu comecei com o pensionato para meninas, por pura necessidade", afirma Cleci.

Copa comunitária é ótima para as refeições (Foto: Naiane Mesquita)Copa comunitária é ótima para as refeições (Foto: Naiane Mesquita)
Quarto são individuais e diárias são R$ 75,00 (Foto: Naiane Mesquita)Quarto são individuais e diárias são R$ 75,00 (Foto: Naiane Mesquita)

Designer, Cleci era sócia de uma empresa que foi fechada posteriormente por motivos financeiros. Sem poder trabalhar no ateliê, o jeito foi abrir as portas de casa. "Eu levei uma rasteira, era sócia de uma empresa e tudo pipocou, estourou e a casa era o que eu tinha na mão. Brasileiro é criativo em crises", ri.

Os 58 anos de experiência, volta e meia ela arredonda para 60. Sem medo da idade ou do tempo, ela conta que não conseguiu lidar muito bem com as dificuldades do pensionato e seu público mais jovem. O jeito foi pensar em uma pousada, até chegar ao formato de hostel.

"O pensionato era muita preocupação para pouco dinheiro. A casa nunca foi pensada para hostel, não foi adaptada nem nada, o que eu mais mudei foram os quartos, mas no sentido de tirar tudo que tinha dentro do guarda-roupa. Nossa, era muita coisa. Os quartos ficaram clean, com camas, ventiladores de teto. A estrutura estava pronta", acrescenta.

Decoração rústica é herança da época em que a família toda morava na casa (Foto: Naiane Mesquita)Decoração rústica é herança da época em que a família toda morava na casa (Foto: Naiane Mesquita)

O jardim é extenso e a decoração rústica. O charme está para a madeira não só nas paredes, como no chão e nos móveis. "Exceto um corredor lateral de 1,5 m², todo o resto é de madeira. Ele só não é do mesmo material porque o plano diretor da cidade não autorizava na época. As pessoas tinham muito receio de madeira, viviam falando que era insegura, que se demolisse não valia nada, uma besteira", ri.

Na varanda, há um banco feito também de madeira, semelhante a um grande tronco. Tsurus caem da janela e um buda repousa próximo a porta da cozinha. "Não se engane, eu sempre coloco alguma coisa nova", brinca. Nos fundos há os quartos da casa, com algumas adaptações. Dois gatos dormem nos espaços, um na sala e outro no quarto vago de casal.

A calmaria é que manda na casa de madeira. "Eu sempre gostei de trabalhar em casa. Só saia para atender as empresas, clientes, o trabalho era na frente do computador o dia inteiro. Eu gostava, mas é muito difícil trabalhar de arte no País", confessa.

Cozinha e sala são confortáveis e mostram um pouco de como era a casa antes (Foto: Naiane Mesquita)Cozinha e sala são confortáveis e mostram um pouco de como era a casa antes (Foto: Naiane Mesquita)

Hoje, dona do hostel e em breve abrindo um novo empreendimento, a Hosteria Pantaneira, também em Campo Grande, Cleci nem pensa em mudar de vida. "O mundo vem até você. Vem pessoas de todos os lugares possíveis, tanto do Brasil, quanto do exterior. Já recebi coreano, alemão nem vou falar porque são vários, franceses também", conta.

Apaixonada pelos hóspedes que chegam pelo Airbn, ela segue tocando o hostel com prazer. "Eles entendem a proposta. Não vem com aquela percepção certinha de pousada convencional".

O preço de hospedagem é de R$ 75,00, com quartos individuais e banheiro compartilhado. Vale a pena citar que há uma pequena piscina nos fundos, para os dias de mais calor.

O Hauzz Hostel fica na rua Piratininga, 1527, Santa Fé. Informações pelo telefone (67) 98118-7270 ou pelo Facebook. 

 

A frente da casa muda conforme o desejo da dona (Foto: Naiane Mesquita)A frente da casa muda conforme o desejo da dona (Foto: Naiane Mesquita)



imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.