A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 18 de Setembro de 2018

23/08/2018 07:48

Presidente exigiu boa recepção e fez autoridades tomarem chuva em Campo Grande

Imagem é da década de 1970, durante visita do presidente militar Emílio Médici

Thailla Torres
O então presidente desceu do avião, recusou guarda-chuva e fez todas as autoridades presentes saírem da cobertura para cumprimentá-lo. (Foto: Roberto Higa)O então presidente desceu do avião, recusou guarda-chuva e fez todas as autoridades presentes saírem da cobertura para cumprimentá-lo. (Foto: Roberto Higa)

Em 1971, o ex-presidente Emílio Médici protagonizou uma cena que ficou marcada na história de idas e vindas presidenciais a Campo Grande. Era uma tarde chuvosa quando o militar pousou na Base Aérea da cidade e avistou a pista livre sem a presença de autoridades. Exigiu então uma fileira para cumprimentá-lo, fez todos os engravatados da época tomarem chuva para que ele fosse bem recebido.

A foto que marca do #TBT desta quinta-feira é mais um dos registros graças ao olhar do fotógrafo Roberto Higa, que na ocasião fazia parte do grupo de imprensa de prontidão para o receber o homem.

Nas memórias de Higa, antes do avião presidencial pousar em Campo Grande, convidados e autoridades aguardavam no hangar para se protegerem. "Mas de repente, o senhor presidente chega em seu possante. Eu estava no nosso chiqueirinho de imprensa quando vejo o comandante da Base com seu ajudante de ordem passando apressado com um enorme guarda-chuva até o avião".

Médici avistou a pista e sentiu a diferença, lembra Higa. "Do nosso chiqueiro ouvimos o presidente perguntar onde estavam os convidados do Estado para sua recepção".

Não demorou muito para o ajudante de ordem dar meia volta e posicionar todos na pista para cumprimentar a autoridade. Médici também não foi cordial na recepção e recusou o guarda-chuva. "Ele tirou de lado e desceu na chuva. Cumprimentou todos, ficou molhado como todo mundo".

Após a recepção ninguém trocou de roupa. O grupo saiu molhado do pátio da Base Aérea com destino a um dos pontos onde seria a inauguração da BR 163 que naquela época ligava Mato Grosso ao Estado de São Paulo.

Dos personagens que fazem parte da foto, encontramos o vereador de Camapuã, o engenheiro Hugo José Bomfim (DEM), de 78 anos, que na época era secretário de viação e obras públicas do Estado. "Esse foi um episódio no final do governo de Pedro Pedrossian em Mato Grosso. Sua vinda presidencial marcou uma inauguração importante, de um corredor que tinha objetivo de ligar o Norte ao Centro-Oeste e Sudeste do Brasil".

Na versão de Hugo, Médici foi menos 'autoritário'. "Eu lembro mesmo da gente estar na cobertura, mas quando ele chegou fomos todos cumprimentá-lo. Naquele tempo era um sinal de respeito, cordialidade. Não vejo sua atitude como autorismo" descreve.

Depois da ocasião, todas as autoridades e o presidente foram em comboio para o ponto onde seria a inauguração. Molhados e com frio, ninguém reclamou da chuva. "De jeito nenhum, quem reclamaria?", ri Hugo.

Após a inauguração, Médici foi deslocado até o Quartel General, na Avenida Afonso Pena, hoje ocupado como Sesc Cultura, onde houve outra recepção, longe das fotografias, sem a bisbilhotagem. "Só presenciamos tudo do nosso chiqueirinho, depois a imprensa não teve mais acesso. Coisas da época, mas cenas que acontecem até hoje", lembra Higa.

Qual o sua maior lembrança? Mande o seu #TBT e contamos a sua história. Basta enviar uma foto para o Lado B pelo Facebook, Instagram ou e-mail: ladob@news.com.br



imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.