A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 18 de Setembro de 2018

02/05/2018 06:20

Rhaysla alisava cachos desde 11 anos, mas cortou cabelos sozinha e virou exemplo

Mesmo com desaprovação da mãe, a menina não se arrepende da decisão de aceitar os fios naturais, inspirada por atrizes negras

Thaís Pimenta
Rhaysla, o cachorrinho mais novo da família e a irmã mais nova, Ana Giulia, que tem os fios mais lisos naturalmente. (foto: Marina Pacheco)Rhaysla, o cachorrinho mais novo da família e a irmã mais nova, Ana Giulia, que tem os fios mais lisos naturalmente. (foto: Marina Pacheco)

Repleta de cachinhos naturais, Rhaysla Pereira Andrade não via na escola nenhuma outra amiga com o mesmo volume nos cabelos, por isso, aos 11 anos, depois de muito ser zoada pelos colegas, pediu insistentemente para a mãe, Patricia Carvalho Pereira, para alisar os cabelos com uma progressiva. Foram cinco anos assim, uma criança sofrendo para manter os fios sempre bem chapados. Até que na adolescência ela tomou uma decisão e, neste domingo, imediatamente cortou toda a parte do cabelo que ainda tinha progressiva e ficou com os fios bem curtinhos.

"Eu fiz desse jeito porque sabia que se esperasse mais, se tivesse que ir ao salão, eu não teria coragem. Não aguentava mais, estava cansada de tanta chapinha, porque mesmo com o cabelo já liso eu passava duas vezes por dia pra ele ficar bem retinho", explica a menina.

Numa publicação no Facebook, Rhaysla anunciou a todos o novo visual e deu um show de auto aceitação, aos 15 anos. No post, com mais de 93 comentários positivos e cerca de 150 curtidas, ela diz:

"Oi gente, então né...Vou falar um pouco sobre auto aceitação...Quando eu era criança sempre fui zoada pelos cachos, o que me levava a pensar que eram feios também, e tive a decisão de encher o saco da minha mãe pra ela me deixar alisar...Enfim, sempre vai ter algum 'padrão de beleza', e isso so serve pra colocar você la baixo, sempre se achando menos e procurando se encaixar...Você é linda do seu jeito ok??! Hoje fazia 5 anos que vivia na química, sempre me senti mal por estar queimando cada vez mais meus fios com a chapinha, mas também nunca tive coragem de parar...Mas isso mudou, agora pouco decidi eu mesma cortar todo alisamento deixando meu cabelo natural, e é lógico que as pessoas estranharam, em menos de duas horas ja ouvi vários apelidos que ate eu ri kkk, mas eu sei que não vai ser fácil o olhar das pessoas quando eu sair de casa nessa semana...Enfim, eu amo cabelos lisos, amo cachos, amo cabelos curtos e longos...Mas acima de tudo eu decidi me amar, e apesar de não receber muito apoio eu optei por me aceitar assim e peço as pessoas que sentem vergonha do teu cabelo ou peso ou cor, que se orgulhem por serem vocês mesmos, e jamais ligam pras opiniões ou padrões que são impostos, não é teu cabelo que te faz ser mulher, é a tua personalidade, coragem e o poder que você tem de colocar um batom forte, vestir um salto e passar por cima daquilo que o mundo julga ser errado ou feio...Você é linda do jeito que é...SE ACEITE".

Ela agora abusa dos acessórios. (foto: Marina Pacheco)Ela agora abusa dos acessórios. (foto: Marina Pacheco)

A mãe não gostou nada da atitude da filha e diz que achou até que Rhaysla estava enlouquecendo. Chegou a pensar em levá-la ao psicólogo, não por abrir mão do alisamento, mas por encarar a tesoura sozinha. Porém, pouco a pouco, lendo os comentários dos amigos da menina no post, ela começou a aceitar. "Eu achei que ela teve uma atitude muito corajosa para a idade dela. Não acho que ela deveria ter feito dessa maneira, escondido, mas eu mesmo não teria tido coragem de fazer isso", diz ela.

A avó, Marlene de Carvalho, acha que a netinha vai ser muito mais feliz agora. "Ela vai ficar livre pra  curtir o dia dela. Tinha noites que eu passava em frente ao quarto dela e a via até altas horas passando aquela chapinha no cabelo, era triste demais. Ela se tornou escrava disso e agora se libertou".

Rhaysla disse que tomou essa atitude pensando também na sua saúde, já que os cabelos vinham até caindo por conta da frequência dos procedimentos. "Eu também nunca podia tomar chuva. Pra entrar na piscina eu tinha que fazer progressiva antes, senão nem entrava".

A mãe, Patricia, e a avó, Marlene. (foto: Marina Pacheco)A mãe, Patricia, e a avó, Marlene. (foto: Marina Pacheco)

Taís Araújo foi a mulher na qual a garota se inspirou para tomar a decisão de cortar o cabelo, um exemplo claro de que representatividade importa -  e muito! "Lembro que ela também cortou bem curtinho para tirar a química e hoje ela está com um cabelo bem bonito, volumoso, que é como eu quero que o meu fique", comenta.

Assumir o afro, sem vergonha de ser feliz, é isso que ela espera a partir de hoje. "Ainda não voltei para a escola né, porque fiz isso fim de semana, mas espero que não me zoem. Agora estou no Ensino Médio e acho que a gente vive um tempo em que meu cabelo não pode me fazer sofrer preconceito".

Ela completa: "não quero nunca mais voltar a fazer alisamento. Agora eu posso tomar chuva, entrar na piscina e enquanto o meu cabelo não ficar no tamanho que quero, vou seguir pensando: cabelo cresce".

Curta o Lado B no Facebook  e no Instagram.

 



imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.