ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, TERÇA  18    CAMPO GRANDE 32º

Comportamento

Sogro morreu há 2 anos, mas foi a maior surpresa em casamento

Nora homenageou sogro querido duas vezes, para realizar o sonho dele de estar no casamento do filho

Por Thailla Torres | 15/01/2022 08:08
Uma das homenagens foi balão em cadeira reservada para o pai do noivo. (Foto: Top Studio Fotografia)
Uma das homenagens foi balão em cadeira reservada para o pai do noivo. (Foto: Top Studio Fotografia)

Quando Laís Gabrielle Porto Senhorini Fioravante, de 27 anos, e Luiz Eduardo Fioravante, 28, falaram em casamento pela primeira vez, o coração bateu forte também no do pai de Eduardo, seu Wellington, que sonhava ver os seus dois filhos dizendo um “sim” cheio amor. Mas a vida o levou cedo demais. Em 2019, ele se despediu da vida após um câncer.

Mas sua ausência não impediu que o casal apaixonado realizasse todos os seus sonhos, inclusive, o do sogro querido, que ganhou duas homenagens e esteve presente até na renovação de votos, que foi a verdadeira “festa de casamento”, após adiamentos por conta da covid-19.

Eduardo e Laís se apaixonaram em 2017 após virarem melhores amigos. (Foto: Top Studio Fotografia)
Eduardo e Laís se apaixonaram em 2017 após virarem melhores amigos. (Foto: Top Studio Fotografia)

O início de um amor - A história do casal começou em julho de 2017, quando se conheceram em um acampamento católico da Paróquia Santo Antônio. Na época, o acampamento era bem concorrido. Ele já havia sido sorteado 3 vezes e, por diversos motivos, acabou não indo. Já ela foi em apenas um sorteio anterior e como não havia sido sorteada, perdeu as esperanças. Porém, ambos resolveram dar mais uma chance após amigos insistirem muito e foram sorteados.

Lá, fizeram parte do mesmo grupo e viram a experiência se transformar numa bela amizade. Mas o tempo passou e só os dois não percebiam que o laço havia transcendido.

“Eu sentia que tínhamos uma ligação muito forte, mas não sabia identificar exatamente o que sentia. Até que chegamos em um ponto em que não nos desgrudávamos, passávamos noites conversando até amanhecer o dia. Quando um dia, resolvemos assistir um filme e após acabar a sessão, demos nosso primeiro beijo e duas semanas depois, já estávamos namorando”, lembra Laís.

A primeira vez que falaram em casamento foi em 2018. “Ele logo respondeu que só me daria uma aliança se fosse de ouro. Com isso, sempre conversávamos, mas nunca seriamente. Na época, eu estava terminando minha residência multiprofissional no hospital, não conseguia nem pensar em planejar um casamento”.

Entrada dos convidados com o balão foi emocionante. (Foto: Top Studio Fotografia)
Entrada dos convidados com o balão foi emocionante. (Foto: Top Studio Fotografia)

Porém, em agosto de 2018, seu Wellington descobriu um câncer de base de língua que já estava em um estágio bem avançado e, com isso, em março de 2019, seu quadro se complicou. Foi quando Eduardo ouviu do pai o sonho de ver os filhos casando.

“Como sabíamos que talvez não seria possível, resolvemos de um dia para o outro comprarmos uma aliança e noivarmos. Fomos na loja, escolhemos a aliança e fomos conversar com os meus pais. O pedido quase não saiu, mas foi extremamente emocionante receber a bênção dos nossos pais”, lembra o casal emocionado.

Em maio do mesmo ano, o casal realizou um jantar de noivado apenas para familiares e amigos próximos. “Acredito que era Deus agindo em nossas vidas, pois meu pai conseguiu participar e, no dia seguinte, foi para a cidade de Cascavel, onde se tratava, retornando somente dias antes de falecer”, narra Eduardo.

Desde o início, Laís queria realizar uma homenagem para o pai do Eduardo, com isso, escolheu junto ao noivo o dia 17 de abril de 2021 para o casamento. “Esse dia é a data do aniversário do meu sogro. Porém, 15 dias antes tivemos que adiar a festa devido ao grande aumento do número de casos de covid-19 e pelos hospitais lotados”.

Mas como era uma data importante demais para o casal, os dois adiaram a festa e mantiveram o casamento na igreja, apenas para familiares próximos, quase em segredo e seguindo protocolos de biossegurança. “Foi uma cerimônia extremamente emocionante, sem contar para ninguém, pedi para fazerem um relicário com a foto do meu sogro e combinei com minha cerimonialista e toda a equipe de foto e vídeo para que esse relicário fosse entregue, minutos antes do Eduardo entrar na igreja. Foi muito emocionante”.

Emoção dos irmãos no casamento. (Foto: Top Studio Fotografia)
Emoção dos irmãos no casamento. (Foto: Top Studio Fotografia)

Mas como tiveram de adiar a festa, o casal resolveu fazer uma cerimônia de renovação de votos recentemente, para que familiares, amigos e padrinhos pudessem participar. “Não podíamos deixar de realizar alguma homenagem e o que eu mais queria era que o Eduardo sentisse que o pai dele estava ali presente, ele estava realizando o sonho dele de ver um dos filhos se casar, infelizmente, seria apenas espiritualmente”.

Foi assim que Laís o surpreendeu, representando o sogro querido através de um balão e deixando uma cadeira reservada para ele. No final de cerimônia, a sogra de Laís e mãe de Eduardo soltou o balão e a emoção tomou conta de todos que estavam presentes. “Realmente, foi um momento marcante e lindo”.

Depois de votos emocionantes e palavras lindas, Laís lembra de outro momento inesquecível, que ainda a deixa emocionada. “Foi uma espécie de “first look” com meu pai. Somos muito ligados por eu ser a única menina e a caçula, então, não deixei ele ver nenhum dos preparativos do vestido ou como fiquei após o teste de cabelo e maquiagem. Deixei aquele suspense para que no momento em que fiquei pronta, pedi para que chamassem ele no quarto onde eu estava. Ele entrou de olhos fechados e quando ele abriu os olhos, nos abraçamos e choramos, foi um momento marcante e que jamais irei me esquecer”.

Depois de adiamentos, dois anos de planejamentos, despedida dolorosa e muito estresse, o casal olha para as fotos com uma certeza: “Nós faríamos tudo de novo, exatamente da mesma forma”.

Por muito tempo, Laís ouviu que casamento é um evento desnecessário, em que gastaria um rio de dinheiro para depois ouvir as pessoas reclamarem. “Mas hoje, se eu puder aconselhar pessoas que sonham em se casar, mas tiveram que remarcar ou adiar, que estão desanimadas e que podem estar em dúvida se realmente vale a pena, eu digo: sim, vale! E muito!”, finaliza.

Momento em que o pai de Laís a viu vestida de noiva e não segurou as lágrimas. (Foto: Top Studio Fotografia)
Momento em que o pai de Laís a viu vestida de noiva e não segurou as lágrimas. (Foto: Top Studio Fotografia)
Para Laís e Eduardo, cada segundo e planejamento valeram a pena. (Foto: Top Studio Fotografia)
Para Laís e Eduardo, cada segundo e planejamento valeram a pena. (Foto: Top Studio Fotografia)

Curta o Lado B no Facebook. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário