A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 19 de Setembro de 2018

30/10/2017 08:13

Tradição japonesa é passada em aulas de Taiko, abertas a qualquer interessado

Lucas Arruda
Nas aulas, eles não aprendem só a dança e sim sobre toda a cultura de Okinawa (André Bittar)Nas aulas, eles não aprendem só a dança e sim sobre toda a cultura de Okinawa (André Bittar)

Para manter viva a cultura japonesa, principalmente da ilha de Okinawa, a Associação Nipo Brasileira faz todos os domingos o curso do grupo Ryukyu Koku Matsuri Daiko. Ali, eles ensinam sobre o Taiko, tradicional tambor japonês, além das coreografias baseadas no Eisá, dança típica de Okinawa com mais de 400 anos.

As aulas são abertas para qualquer pessoa participar, mas pelo menos no curso das crianças, onde podem se inscrever meninos e meninas até 14 anos, a maioria é de descendentes de japoneses. E, segundo o professor Mário Kohatsu, cada vez a procura das aulas de Taiko é maior.

 

Hoje em dia uma empresa paulista fabrica os instrumentos (André Bittar)Hoje em dia uma empresa paulista fabrica os instrumentos (André Bittar)

“Antigamente, logo que os primeiros japoneses foram chegando aqui, era muito difícil a fabricação de nossos tambores típicos, não tinha quase ninguém que os fazia aqui no Brasil, por isso não tinha nem como muitas pessoas praticarem. Com o tempo, a vinda de japoneses foi aumentando e a busca pelo resgate da cultura de Okinawa só foi crescendo. Hoje São Paulo tem uma fábrica que nos atende produzindo os instrumentos”, afirma.

Mário afirma que o curso não é só uma mera diversão de domingo e sim que todos que estão ali, em especial os mais novos, aprendem sobre disciplina e a interagir melhor com outras crianças. “É por isso que muitos pais gostam de coloca-los nas aulas, além de adquirirem conhecimento sobre a cultura, dança, eles melhoram em casa. Também há um descanso da energia e um relaxamento que as aulas trazem a quem participa”, acredita.

Muitas das crianças começam ali por obrigação, já que são ordenadas pelos pais a frequentar o curso. Com o decorrer do tempo elas começam a adquirir o gosto pela prática e também por aprender sobre a terra natal dos seus antepassados. “Não gosto muito da ideia de estar aqui aos domingos, mas tenho que vir. Aprender sobre o Japão é legal, me divirto aqui também, vale a pena”, diz Minoru Uechi, um dos estudantes que tem 10 anos.

Já Mariana Yukari Aguena, de 13 anos, faz o curso há 5 anos e começou por influência das amigas. “Algumas delas vinham pra cá no domingo quis acompanha-las. Eu gosto daqui, fiz bastante amizades, interajo com outras pessoas da minha idade”, avalia.

O curso é aberto para quem quiser participar, a mensalidade custa R$ 25. Para inscrições e mais informações entre em contato pelo telefone 98194-3587.

Acompanhe o Lado B no Facebook e no Instagram.

Apresentação do Ryikyu Koku Matsuri Daiko num evento em Curitba (Foto: Reprodução Facebook)Apresentação do Ryikyu Koku Matsuri Daiko num evento em Curitba (Foto: Reprodução Facebook)


imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.