ACOMPANHE-NOS    
MAIO, SÁBADO  30    CAMPO GRANDE 29º

Consumo

Após usar fogos do Ano Novo para noivar, Otávio pede ajuda até o altar

Com casamento agendado para dezembro, ele é motorista de aplicativo e colocou plaquinha de “nos ajude a casar” nos bancos do carro

Por Danielle Errobidarte e Clayton Neves | 08/04/2020 07:39
Os dois também fizeram brechó com roupas doadas por amigos. (Foto: Arquivo Pessoal)
Os dois também fizeram brechó com roupas doadas por amigos. (Foto: Arquivo Pessoal)

Eles se conheceram na igreja e foi amor à primeira vista. Aproveitando os fogos da virada do ano, Otávio Carvalho pediu Beatriz Miranda em casamento no dia 31 de dezembro e definiram a data para 13 de dezembro do ano seguinte. Este ano, Otávio percebeu que não seria tão fácil assim conseguir dinheiro para as festividades, e decidiu vender bebidas no carro onde é motorista de aplicativo. O casal também já realizou um brechó com roupas doadas pelos amigos. Todo dinheiro que arrecadam é cuidadosamente guardado para o sonho maior de subir no altar.

“No momento em que ela me viu, na igreja, pela primeira vez, disse que ia se casar comigo. Eu ri, mas não deu outra. Começamos a namorar depois de um mês. Eu comecei a trabalhar de Uber em novembro do ano passado, então achei que se colocasse as plaquinhas as pessoas poderiam ver assim que entrassem no carro. Deu certo, muitas compram só para ajudar e alguns doam pequenas quantias sem levar produto algum”.

Acostumados com organização financeira, os dois “se viram como podem”. Quando Otávio não deu conta de pagar as mensalidades da faculdade de administração, Beatriz não pensou duas vezes e sugeriu vender paçoca no sinaleiro por R$1. “Isso me deixou muito feliz porque eu sabia que ela me amava de verdade. Não é qualquer menina que faria isso pelo namorado”, comemora Otávio.

Beatriz e Otávio já venderam paçoca no semáforo para ajudar a pagar faculdade de administração. (Foto: Arquivo Pessoal)
Beatriz e Otávio já venderam paçoca no semáforo para ajudar a pagar faculdade de administração. (Foto: Arquivo Pessoal)

Apesar de jovens – ele tem 24 anos e ela, 19 – a decisão de casar é certeza para os dois. Além de arcar com a faculdade, Otávio precisava terminar de pagar contas antigas antes de se planejar para o casamento. “Eu estava com algumas contas para pagar e vi que ia ter muita dificuldade em pagar as coisas do casamento em tão pouco tempo, mas a vontade de casar com ela é maior”.

Os dois planejam arrecadar ainda mais em um almoço futuro. A criatividade e persistência também fizeram o casal conseguir doações para um brechó. Todo o dinheiro foi direto para o cofrinho dos sonhos. “Nós conseguimos doações de roupas de algumas pessoas da igreja e amigos dela de fora. Fizemos um brechó no bairro dela para levantar um pouquinho mais de dinheiro”, explica o noivo.

As plaquinhas ficam penduradas nos bancos da frente do carro, no encosto da cabeça. Os produtos vendidos vão de bala à refrigerante e tem até opção de pagar com cartões de crédito e débito.

Se você pegar uma corrida com Otávio, não exite em ajudar. Em dezembro, o Lado B quer contar a história deles de novo, desta vez, no altar. Fique em casa, mas continue falando com o Lado B no Facebook e no Instagram, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563.