ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEXTA  30    CAMPO GRANDE 19º

Consumo

Netas fazem bazar com objetos, roupas e acessórios de uma avó "exótica"

Por Anny Malagolini | 04/12/2013 06:58
Netas fazem bazar com objetos, roupas e acessórios de uma avó "exótica"

A herança deixada pela avó às netas Anna Jéssica, de 21 anos, e Paola Silvestrini, de 25, não foi em dinheiro, mas em objetos de decoração, roupas e acessórios. Entre  tantos pertences, muita coisa de valor sentimental ficou com as meninas, mas tantas outras ficaram sem lugar e o jeito útil que encontraram para um bom destino às peças  foi realizar um bazar, beneficente. 

A maioria tem a história das andanças da avó pela Europa. A italiana Enrichetta Silvestrini gostava de viajar e sempre trazia algo na bagagem.

Pelo que os objetos representam, ao invés de doação, as netas decidiriam criar um brechó e parte da renda arrecadada com as vendas será repassada à ONG “Mães da Fronteira”.

No passado, as duas também perderam o irmão, o estudante Breno Silvestrini, aos 18 anos, assassinado ao lado do amigo Leonardo. A história que comoveu pela brutalidade, também levou as mães dos garotos a criar a entidade, para a defesa dos direitos humanos e o combate à violência e à impunidade em Mato Grosso do Sul.

Netas fazem bazar com objetos, roupas e acessórios de uma avó "exótica"

Anna conta que após as mortes, a família demorou a recuperar as forças e por isso, só agora é dado rumo aos pertences da avó.

“Eu olho as fotos e dá um aperto e saudade. Ela era vaidosa e amava muito, mas não temos onde colocar pela falta de espaço e essas coisas acabam perdendo o significado”, explica Anna.

Enrichetta faleceu aos 70 anos de idade. Paola comenta que a avó partiu em plena vitalidade. "O que sempre chamou a atenção foi o gosto dela pelo exótico", lembra.

Paola é arquiteta, mas confessa que as peças de decoração não proporcionaram tanto interesse à ela quanto as roupas. Há vestidos de uma senhora moderna, que parecia ser bastante vaidosa. os sapatos, estão como novos, mas as bolsas são as peças que mais indicam sobre a personalidade da dona Enriqueta.

“Não era o tipo de avó que sabia cozinhar. Mas tinha o gosto apurado e, claro, tudo isso refletia no que era comprado por ela. Tudo era muito eclético, tem todos os estilos”, comenta.

As peças, com cara vintage, relevam também o cuidado que Enrichetta teve durante os anos, para que parecem novas ainda hoje. 

Até a casa era limpa por ela mesma e a mão. “Era a avó perua, mas era simples, se responsabilizava pelas suas coisas dela, tinha muito zelo”.

O valor de todas as peças ainda não foi definido, apenas os vestidos, que custam entre R$ 30,00 a R$ 60,00 e a numeração é G e GG.

Para acompanhar o evento e saber os preços e conferir todos os objetos disponíveis clique aqui. A venda dos produtos será feita no sábado, dia 7, na rua Vitório Zeolla, 88, no Carandá Bosque, a partir das 9 horas.

Netas fazem bazar com objetos, roupas e acessórios de uma avó "exótica"
Netas fazem bazar com objetos, roupas e acessórios de uma avó "exótica"
Netas fazem bazar com objetos, roupas e acessórios de uma avó "exótica"
Netas fazem bazar com objetos, roupas e acessórios de uma avó "exótica"
Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário