ACOMPANHE-NOS    
JULHO, QUARTA  15    CAMPO GRANDE 20º

Consumo

Para produzir chapéus de palha da moda, Malu Pires aposta no mood sustentável

Por Anny Malagolini | 27/06/2020 10:10
(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Marca de chapéus de palha ultra desejáveis, a Malu Pires – criada pela empresária Maria Luara Pires – produz chapéus de palha feitos à mão, com matérias-primas extraídas de coqueiros brasileiros, priorizando o conforto, a atemporalidade, mas também a sustentabilidade. Para a brand de acessórios em palha que nasceu na cidade de Rio Verde, em Mato Grosso do Sul, o novo normal da moda já é realidade.

Na opinião da empresária, a moda vai mudar com a pós-pandemia, mas antes disso, a sustentabilidade definitivamente já estava na pauta de prioridades da empresa. Segundo ela, produzir peças atemporais e confortáveis é um dos diferenciais para manter seu nicho aquecido - e ganhou força mesmo com a pandemia do novo coronavírus.

“Desde o começo imaginávamos que a moda se curvaria à sustentabilidade, e o coronavírus adiantou isso. Acredito que ser uma marca que oferece chapéus e bolsas de palha com design atemporal, que ao mesmo tempo é preocupada com o impacto ambiental e social, está na essência do aumento das nossas vendas”", diz.

Embora o estilo continue sendo um fator importante, há outros itens que vão ganhar destaque. “O futuro da moda é sustentável e deve agradar o consumidor, que busca peças atemporais, de qualidade e confortáveis. É a moda com razão”, completa.

Afinal, o que é sustentabilidade? 

Um produto considerado sustentável é aquele que apresenta o melhor desempenho ambiental e socioeconômico ao longo do seu ciclo de vida, com função, qualidade e nível de satisfação igual, ou melhor, quando comparado produto-padrão. Nisso, inclui a matéria-prima e a mão de obra que é utilizada para dar origem ao artigo, que no caso da Malu Pires são bolsas e chapéus de palha femininos e masculinos.

Para implantar a sustentabilidade, a marca criada em 2017 não abre mão do processo feito à mão em praticamente todas as etapas. Desde ao trançado da palha à pigmentação natural, o trabalho é feito pela força de artesãs da região, inclusive de áreas rurais, como forma de valorizar a mão de obra local, além de gerar emprego. Ainda no mood sustentável, economizar água e evitar produtos químicos.

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

“Decidimos incorporar a sustentabilidade desde o início. Sentíamos que tudo já era muito industrializado, feito em larga escala, sem uma história por trás do produto”, diz. “Assim como tem o Chapéu Panamá, pensei: por que não explorar a matéria-prima daqui? É uma forma de ajudar a produzir renda”, recorda.

Além da pauta de sustentabilidade que quer rastrear quem está por trás da produção de tudo o que você usa, Malu acredita a pandemia está acelerando a aproximação com a tecnologia, e novos caminhos estão sendo desenhados, e a aproximação da sustentabilidade no processo é um deles. O que ele espera? A integração harmônica entre real e digital. Os modelo estão à venda na loja www.malupires.com.br. Siga também a marca no Instagram @maluchapeus.