ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUARTA  21    CAMPO GRANDE 24º

Diversão

Dança drama de João Dias é espetáculo sensível e cheio de memórias afetivas

Espetáculo “Fruto” é um trabalho criado dentro da pandemia do coronavírus

Silvio de Andrade | 11/10/2022 08:45
Espetáculo domina o expectador naquele ambiente de trevas entre o breu e um bico de luz. (Foto: Paula Cayres)
Espetáculo domina o expectador naquele ambiente de trevas entre o breu e um bico de luz. (Foto: Paula Cayres)

A plateia não se move nas cadeiras e no entorno da escada que dá acesso ao espaço do Museu de Arte Contemporânea (Marco), onde o interprete criador e bailarino João Dias, de Dourados, se agoniza em seu corpo em busca de respostas afetivas entre narrativas e movimentos.

O espetáculo “Fruto”, apresentado na noite de domingo, como parte da programação do Campão Cultural, domina o expectador naquele ambiente de trevas entre o breu e um bico de luz e o libera da sensação de angustia do personagem com aplausos. Muitos aplausos!

“Fruto”, trabalho criado dentro da pandemia do coronavírus, foi um processo incubador que se iniciou em 2018 a partir de uma oficina de criação de processo cênicos ministrado pelo diretor e ator João Rocha no Sucata Cultural, se estendendo ao longo desse período crítico a doença.

Ao final do espetáculo, radiante pela receptividade do público, João Dias destacou a importância do Campão Cultural para o artista do interior ao abrir espaços e valorizar seu trabalho, muitas vezes pouco reconhecido.

“O Campão agrega muito para a cidade e para a cultura e fiquei muito feliz em participar”, disse. “Achei essa segunda edição muito linda, incrível, além de promover cultura e lazer para as pessoas, o festival leva a arte para a periferia e isso é muito importante para promover cultura”.

O solo de dança drama do bailarino João Dias é baseado nas suas relações maternas e paternas. (Foto: Paula Cayres)
O solo de dança drama do bailarino João Dias é baseado nas suas relações maternas e paternas. (Foto: Paula Cayres)

Dor e sentimentos

O solo de dança drama do bailarino João Dias é baseado nas suas relações maternas e paternas, contendo uma linha de pesquisa através da sua ligação emocional e psicológica com seus pais e como essa ligação reverbera em sua movimentação corporal.

É um espetáculo sensível cheio de memorias afetivas, no qual o interprete criador traz para seu corpo seus laços mais profundos. O processo rebuscou sobre seu passado, fazendo da sua existência o presente e criando possibilidade para o futuro.

“Assim, como o fruto nunca cai longe do pé, a vida é como uma arvore que cresce, amadurece e dá fruto. É colhendo cada memória que o interprete criador transforma seu movimento, compreende sua existência e liberta seus sentimentos para mundo, para seu próprio eu”, sintetiza João Rocha.

O Fruto tem a direção de Társila Bonelli, gestora cultural, professora, bailarina e coreografa, cuja a contribuição foi extrema importância na estrutura e desenvolvimento do espetáculo.

O Fruto tem a direção de Társila Bonelli, gestora cultural, professora, bailarina e coreografa. (Foto: Paula Cayres)
O Fruto tem a direção de Társila Bonelli, gestora cultural, professora, bailarina e coreografa. (Foto: Paula Cayres)

Acompanhe o Lado B no Instagram @ladobcgoficial, Facebook e Twitter. Tem pauta para sugerir? Mande nas redes sociais ou no Direto das Ruas através do WhatsApp (67) 99669-9563 (chame aqui).

Nos siga no Google Notícias