ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, QUARTA  22    CAMPO GRANDE 30º

Diversão

Indígena irá representar o Pantanal em desfile de escola de samba

Gleycielli Nonato é originária do povo Guató e foi convidada para participar da homenagem aos povos indígenas

Aletheya Alves | 05/03/2022 08:23
Indígena guató, Gleycielli Nonato irá representar o Pantanal em desfile de escola de samba. (Foto: Arquivo Pessoal)
Indígena guató, Gleycielli Nonato irá representar o Pantanal em desfile de escola de samba. (Foto: Arquivo Pessoal)

Com traje tradicional feito por uma anciã de seu povo, a indígena guató sul-mato-grossense Gleycielli Nonato terá lugar de destaque em um dos carros alegóricos da escola de samba X9 Paulistana durante desfile no Sambódromo do Anhembi. Selecionada para representar o Pantanal, a escritora estará ao lado de outras lideranças indígenas, como Sônia Guajajara.

Moradora de Coxim, Gleycielli conta que divulga seu trabalho no Instagram e foi deste modo que o convite para a participação no evento surgiu. Através de uma história ficcional, a escola de samba irá apresentar uma crítica social sobre o tema e passou a convidar indígenas de etnias variadas para compor o desfile.

Inicialmente, o plano da organização era encontrar um representante do Pantanal no Mato Grosso, mas os trabalhos de divulgação da cultura Guató feitos por Gleycielli fizeram a escola de samba mudar a escolha. “Todo o levantamento sobre meu trabalho foi encaminhado pela X9 e eles aprovaram a representatividade”, diz.

Até agora, o único porém é que a escritora precisa levantar os valores para conseguir pagar passagem, hospedagem e alimentação durante o tempo que ficar em São Paulo. De acordo com Gleycielli, são necessários R$ 3.500 para conseguir pagar tudo e doações são necessárias.

A indígena explica que o enredo da escola irá se basear em uma história ficcional que questiona como seria o Brasil, caso os povos originários retomassem o território após uma crise socioambiental.

Por isso, a população decide pedir ajuda para quem realmente sabe lidar com essa terra e os indígenas surgem para reensinar o povo a viver bem com o Brasil, em paz com a mãe natureza”, explica.

Para Gleycielli, a participação no evento é de extrema importância também para relembrar a existência de seu povo, que já chegou a ser declarado extinto. “Depois, nós começamos a reivindicar o direito de existir através das mulheres guatós, que apareceram falando a língua”. conta.

Resgatando a tradição, ela irá participar do desfile com um traje feito pela artesã Catarina Guató, uma das anciãs de seu povo. A roupa será confeccionada com fibra de aguapé, conforme a história da etnia.

Sobre como irá para São Paulo, ela diz que ainda não tem certeza sobre como vai conseguir o dinheiro, mas não pensa em desistir. “Eu realmente preciso dessa ajuda, porque é um tipo de convite que não se pode negar e eu não neguei.”

Para ajudar, é necessário entrar em contato com Gleycielli pelo número (67) 984628162 ou enviar PIX para a chave 02499463198.

Acompanhe o Lado B no Facebook, Instagram do Campo Grande News e Twitter. Tem pauta para sugerir? Mande nas redes sociais ou no Direto das Ruas através do WhatsApp (67) 99669-9563 (chame aqui).

Nos siga no Google Notícias