ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEXTA  30    CAMPO GRANDE 18º

Faz Bem!

Com sementinhas, Noemi relaxa e estimula pontos na acupuntura desde bebê

Técnica trabalha pontos em bebê que mãe deve "apertar" em casa; resultado vai além do relaxamento e cria conexão entre mãe e filha

Por Paula Maciulevicius Brasil | 14/03/2020 08:00
A pequenina Noemi com a mão da terapeuta Patrícia Iasuda colocando as sementinhas sob o olhar atento e carinhoso da mãe Sonia. (Foto: Paulo Francis)
A pequenina Noemi com a mão da terapeuta Patrícia Iasuda colocando as sementinhas sob o olhar atento e carinhoso da mãe Sonia. (Foto: Paulo Francis)

Quietinha, atenta e tranquila. É assim que a pequena Noemi, de 6 meses, fica enquanto a terapeuta coloca nos pontinhos específicos as sementinhas de mostarda. A bebê começou recentemente a acupuntura para estimulação e também relaxamento, a depender da necessidade de cada sessão, e o resultado é uma conexão linda entre mãe e filha. 

Na sessão que a gente acompanhou, as sementinhas foram colocadas para ativar a memória e a concentração. Ao lado da girafinha Sofia, o brinquedo que acompanhava a menina, Noemi deixou a terapeuta Patrícia Iasuda trabalhar. Ao fundo, uma música transmite a paz do local, fazendo relaxar até quem está ali para trabalhar. 

Sementinhas de mostarda são usadas para trabalhar pontinhos específicos no bebê. (Foto: Paulo Francis)
Sementinhas de mostarda são usadas para trabalhar pontinhos específicos no bebê. (Foto: Paulo Francis)

Foi uma amiga da mãe de Noemi, de São Carlos, quem indicou a acupuntura. "Eu sempre procurei ter momentos para mim, e assim fazer coisas junto com ela ajuda muito", fala Sonia Menabreaz, de 36 anos. Sonia não só acredita no poder das terapias alternativas como trabalha com terapia craniosacral e também as vibracionais.

Italiana de nascença, ela não tem familiares aqui com exceção dos parentes do marido. "Eu estou sem minha família, então sempre procuro fazer coisas para ela, mas para mim também, porque quando eu vejo que não estou bem, ela fica agitada, mais difícil", descreve.

Os resultados ainda não podem ser, de fato, descritos, porque como Sonia mesmo fala, por ser mãe de primeira viagem, ela não sabe exatamente como é o desenvolvimento dos pequenos. "No entanto, eu acredito muito nesse trabalho com terapia alternativa", diz.

Quem está do outro lado, colocando as sementinhas, é Patrícia Iasuda. Com um currículo extenso de terapias, acupuntura, reflexologia, shiatsu, Patrícia tem cursos até no Japão. Com toda calma e serenidade, ela explica não só o que é a acupuntura como também nos convida a fazer uma sessão.

Noemi, pelo menos enquanto acompanhamos, ficou bem tranquila na sessão. (Foto: Paulo Francis)
Noemi, pelo menos enquanto acompanhamos, ficou bem tranquila na sessão. (Foto: Paulo Francis)

"No bebê a gente usa as sementinhas para estimular os pontinhos. A acupuntura é excelente, trabalha o reequilíbrio energético, você não fica doente, e às vezes coisas que você nem me fala, já sente melhora, porque vai equilibrar", esclarece.

A acupuntura ali é feita desde bebê a crianças maiores, gestantes e adultos. Em casa, Patrícia explica que a mãe precisa dar continuidade. "A sementinha, diferente da agulha, tem que apertar para fazer o efeito, e você fica com ela até cair", completa.

Com a ajuda de uma almofadinha, ela pede para ver como eu estou através dos pulsos, e revela que eu estou "em baixa". "Sem energia, falta de energia, ansiosa, tudo baixo. Aqui pelo pulso vejo como você está e trabalho os pontinhos, precisamos estar equilibrados. Nem alto e nem baixo", reforça Patrícia.

Saio com a promessa de voltar e levar os meus pequenos. O telefone para contato com a Patrícia é o 3321-2177 e a clínica onde ela trabalha fica na Rua São Paulo, 233.

Curta o Lado B no Facebook e no Instagram. Tem uma pauta bacana para sugerir? Mande pelas redes sociais, e-mail: ladob@news.com.br ou no Direto das Ruas através do WhatsApp do Campo Grande News (67) 99669-9563 (chame agora mesmo).

Através dos pulsos que Patrícia vê, nos adultos, onde precisamos de equilíbrio energético. (Foto: Paulo Francis)
Através dos pulsos que Patrícia vê, nos adultos, onde precisamos de equilíbrio energético. (Foto: Paulo Francis)
Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário