ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, DOMINGO  26    CAMPO GRANDE 25º

Faz Bem!

Fisioterapia gratuita ajuda quem tem sequelas da covid a recuperar vida normal

Fundação ainda tem vagas para quem teve covid ou qualquer outra doença cardiorrespiratória

Por Caroline Maldonado | 10/02/2022 09:16
Antônia Rolon Velasque, de 78 anos, segura pesos durante sessão de fisioterapia na Fundação Manoel de Barros. (Foto: Marcos Maluf)
Antônia Rolon Velasque, de 78 anos, segura pesos durante sessão de fisioterapia na Fundação Manoel de Barros. (Foto: Marcos Maluf)

Quem enfrenta as sequelas da covid-19 só quer recuperar a força e os movimentos para “voltar à vida normal”, mas isso não é possível sem fisioterapia. Quem não tem condições de pagar, entra na fila da saúde pública e já desanima, porque a espera é longa, mas, em Campo Grande, muitos pacientes conseguiram o serviço gratuito na Fundação Manoel de Barros, que atende em parceria com a universidade Uniderp e ainda tem vagas.

Antônia em sessão de fisioterapia. (Foto: Marcos Maluf)
Antônia em sessão de fisioterapia. (Foto: Marcos Maluf)

A vida normal para a aposentada Antônia Rolon Velasque, de 78 anos, é acordar cedo, fazer o café e preparar a própria comida em casa, no Bairro Portal Caiobá.

Essas tarefas simples do dia a dia deixaram de existir com as sequelas da covid-19 e da chikungunya, que veio em seguida. Quem conta é a filha dela, Arlinda Rodrigues dos Prazeres, de 53 anos, que está desempregada.

Arlinda Rodrigues dos Prazeres aguardando a mãe em sessão de fisioterapia, na Fundação Manoel de Barros. (Foto: Marcos Maluf)
Arlinda Rodrigues dos Prazeres aguardando a mãe em sessão de fisioterapia, na Fundação Manoel de Barros. (Foto: Marcos Maluf)

“Apesar de não ter tido sintomas de gripe, quando pegou a covid, ela sofreu muito com as sequelas, chegava a gritar e a chorar quando a gente ia virar ela na cama. Quando o médico indicou a fisioterapia, tivemos que juntar dinheiro entre os filhos para pagar, mas foi difícil, porque a gente ganha salário mínimo e aí quando fiquei sabendo que a fundação estava oferecendo, foi muito bom”, conta a filha.

Agora, o dinheiro que conseguem juntar e antes pagavam a fisioterapia, os filhos usam na compra de medicamentos e alimentação para a mãe. Arlinda diz que a mãe ainda se sente fraca até para conversar, mas está feliz por estar recuperando os movimentos aos poucos. “Acredito que ela não teve sintomas, porque já havia tomado as duas doses da vacina”, diz.

Entre os 15 pacientes que o projeto atende, a pedagoga Aline Amaral, 40 anos, está gestante de sete meses, com o lado esquerdo do corpo impactado pelas sequelas da covid. “Consigo movimentar 20% ou 30%, já derrubei celular várias vezes. Tudo o que eu quero é voltar ao normal para cuidar do bebê."

Da esquerda para a direira: a estagiária Patrícia Cristina, supervisora professora Adriane Possari e a estagiária Isabel Talita. (Foto: Marcos Maluf)
Da esquerda para a direira: a estagiária Patrícia Cristina, supervisora professora Adriane Possari e a estagiária Isabel Talita. (Foto: Marcos Maluf)

A fundação atende pessoas de baixa renda com sequelas da covid ou de qualquer outra doenças cardiorespiratória, com apoio da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), segundo a supervisora do Projeto do Ambulatório de Reabilitação, professora da Uniderp Adriane Possari.

Ela explica que os pacientes estão chegando com sequelas mais simples desde que começou a vacinação. “No ano passado, pacientes tinham dispneia, falta de ar, dificuldade para executar atividades da vida diária, totalmente dependente. Hoje, eles têm cansaço muscular e um pouco de dificuldade em movimentos aeróbicos”, conta.

O projeto tem duas estagiárias de fisioterapia e uma de psicologia, além da supervisora. "Algumas pessoas precisam de um apoio psicológico. Alguns chegam com traumas, medo de fazer exercícios e precisam desse apoio para ter autoconhecimento e descobrir do que são capazes", explica.

Como agendar avaliação - Para solicitar agendamento, é necessário entrar em contato pelo telefone (67) 9 9613-3710. Os atendimentos são agendados conforme a procura.

O paciente passa por uma avaliação que vai definir como e por quanto tempo será a fisioterapia. A Fundação Manoel de Barros fica na Avenida Ceará, n. 119, no Jardim Bela Vista, ao lado da Uniderp.

Pacientes durante sessão de fisioterapia. (Foto: Divulgação/Fundação Manoel de Barros)
Pacientes durante sessão de fisioterapia. (Foto: Divulgação/Fundação Manoel de Barros)


Nos siga no Google Notícias