A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 21 de Agosto de 2018

03/10/2017 12:00

Com diversão clássica, promessa é de muita bagunça no sofá com No Heroes Here

Ricardo Syozi
Com diversão clássica, promessa é de muita bagunça no sofá com No Heroes Here

Há bastante tempo venho apertando na mesma tecla de que a jogatina online, por mais conveniente que seja, jamais oferecerá a diversão da brincadeira offline com os amigos. Mesmo assim, poucos títulos com esse modo de jogo são lançados em comparação aqueles que exigem da presença da internet. Felizmente, a produtora brasileira Mad Mimic nos trouxe um título que não apenas oferece ambos os mundos, mas que abraça a ideia da boa e velha bagunça no sofá de casa como sua principal. Ela nos trouxe No Heroes Here.

Planejado como um game cooperativo onde a comunicação é elemento chave para a vitória, No Heroes Here mistura elementos de tower defense com produção de itens e ainda partes em plataforma que necessitam de precisão para quem estiver segurando o controle ou manuseando o teclado. Para tudo isso, a jogabilidade precisa ser no mínimo perfeita, o que ocorre em grande parte da jogatina, porém há momentos onde há sensibilidade em demasia, fazendo com que erros básicos sejam cometidos nos momentos de maior tensão.

E tensão é um sentimento que você presenciará bastante em cada uma das mais de 50 fases do game onde seu objetivo é proteger o seu castelo de inimigos vindouros. É claro que no começo tudo são flores. Os oponentes que tentam invadir o seu castelo são poucos, fracos e lentos, fazendo com que um curto planejamento de fazer bala de canhão e pólvora seja o suficiente para dominá-los, porém em pouco tempo a dificuldade sobe fortemente, oferecendo cada vez mais uma maior quantidade de invasores e um posicionamento questionável das ferramentas de produção de itens. Logo, a gritaria passa a rolar solta dentro das quatro paredes, com cada jogador exclamando o que deve ser feito e o que fez de errado. Uma verdadeira farra.

A história é como um todo simples: O reino de Noobland está em guerra, porém seu último grande herói morreu. É aí que entram pessoas normais que precisam defender seus castelos das hordas de inimigos que insistem em atacá-los. Durante a jornada, conhecemos muitos personagens como uma cigana, um padre e uma princesa. Cada um com seu próprio carisma que faz jus a sensacional arte do game, porém senti que não há nenhuma diferença clara de jogabilidade entre cada um deles, o que não consigo deixar de sentir que foi uma oportunidade desperdiçada.

No Heroes Here traz o modo multiplayer presencial como seu ponto forte.No Heroes Here traz o modo multiplayer presencial como seu ponto forte.

O verdadeiro astro de No Heroes Here é o seu esforço para que as pessoas o joguem de forma couch co-op, ou seja, todos juntos na mesma sala e no mesmo sofá. Há a opção de jogatina single player, mas esta é, no mínimo, desinteressante. Além, é claro, de diversão online, mas que também deixa a desejar por causa da impressão frequente de estar sozinho e do potencial lag que pode ocorrer de vez em quando.

Agora, quando jogado entre duas ou até quatro pessoas, No Heroes Here é uma diversão incrível. Nenhuma derrota passa a ser definitiva, pois a sensação de que algo foi aprendido é constante, e aí a nova tentativa logo após um novo planejamento acaba nos deixando mais próximos da vitória, e quando ela chega é só alegria. Uma dica: converse o tempo todo com seus parceiros de jogatina, isso lhes trará o triunfo.

A Mad Mimic fez algo maravilhoso: trouxe uma verdadeira diversão como nos velhos tempos de Streets of Rage e Tartarugas Ninjas onde combinávamos com os amigos quem ficava em que parte do cenário para garantir o êxito. Com um estilo de arte todo pixelado e uma trilha sonora divertida, os momentos gostosos de risadas e desafios estão garantidos. Garanto uma coisa: não há muitos games como esse por aí.

No Heroes Here foi lançado para STEAM e logo chega para Nintendo Switch, XBOX ONE e PS4.

Conheça a Mega Eletrón, a loja online de games oficial do Vídeo Game Data Base, o museu virtual brasileiro dos videogames. O VGDB terá neste ano um estande cheio de diversão e informação na Brasil Game Show, a maior feira de games da América Latina, que acontece na cidade de São Paulo/SP de 11 a 15 de outubro no Expo Center Norte. 



imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.