A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 19 de Agosto de 2018

02/01/2018 12:00

Finalmente estamos em 2018! Isso quer dizer: Feliz ano novo! Adeus jogo velho?

Rodrigo Bochi Motta
Finalmente estamos em 2018! Isso quer dizer: Feliz ano novo! Adeus jogo velho?

Não, esse não é um texto falando para se desfazer de seus games antigos ou mudar as jogatinas, mas sim avaliar o quanto que elas renderam pra gente nesse ano que passou...

No começo de 2015 eu comecei a fazer algo que eu nunca tinha feito até então: Marcar as jogatinas que eu fazia até o final. Isso serviu pra resolver um problema que eu tinha desde a época do Playstation 2, de acumular jogos e não terminá-los. Acho que nunca joguei tanto e tão pouco ao mesmo tempo.

O PlayStation 2 foi a primeira coisa que comprei com o dinheiro que havia juntado logo após me formar. Na época já tinha até o XBOX 360 e o próprio PlayStation 3, mas me contentei com o que podia comprar na época. Algumas tardes ociosas - fruto de um mercado que assim recebe os recém-formados - foram preenchidas com jogatinas vazias. Acho que nunca terei um console que joguei tantos jogos como o PlayStation 2 e, curiosamente, foram pouquíssimos que eu realmente cheguei a finalizar.

Finalmente estamos em 2018! Isso quer dizer: Feliz ano novo! Adeus jogo velho?

Isso mudou quando migrei pra geração seguinte. Jogando menos, ganhando um pouco mais, pude migrar para os dois lados da força, XBOX 360 e PlayStation 3 (novamente, apenas os comprei depois que já haviam lançado seus sucessores), e foi então que pude ver a real importância de se ter um foco, escolher um título e seguir nele até o fim, ou pelo menos até ver que não valeria o esforço.

Hoje, sem dúvida eu jogo uma quantidade menor de games, mas eu chego ao final do ano e vejo que terminei praticamente todos que realmente abracei. A sensação de jogatina vazia é muito menor.

Claro que isso me afastou de alguns gêneros. Eu adorava RPGs, mas eventualmente acabava ficando duas ou três semanas longe de um título. Quando voltava, mal lembrava onde estava na história.

Em compensação, jogos que testam nossas habilidades me interessaram cada vez mais. Eu já havia terminado o primeiro Dark Souls, mas foi uma metodologia de jogo tão interessante de testar nossas habilidades, que acabei adquirindo o 2 e o 3 – inclusive peguei um PlayStation 4 com a principal finalidade de jogar Bloodborne, sendo que a série está atualmente dentre os jogos que eu mais adiciono horas de entretenimento.

Finalmente estamos em 2018! Isso quer dizer: Feliz ano novo! Adeus jogo velho?

Você tem essa sensação de vazio quando olha que o ano acabou e deixou vários games em aberto, muitas vezes sem perspectiva de terminar?

Se sim, talvez seja interessante dar um foco em determinadas jogatinas (desde que você sinta que isso está te fazendo bem, jogar forçado não é saudável), e quem sabe até fazer aquela resolução de ano novo de continuar aquela franquia que você tanto gosta, mas só de pensar que tem três ou quatro jogos pela frente já desanima só de pensar (ok, Metal Gear, eu senti essa indireta... vou lhe dar atenção em 2018).

Então, não abandone o seu jogo velho só porque o ano novo chegou. Não se despeça de sua jogatina que estava te agradando, só porque chegou um título novo na praça (ou abandone, o livre arbítrio é uma benção e ninguém melhor que você pra saber o que é melhor para si mesmo).

Enfim, feliz ano novo, e feliz jogatinas, de jogos novos, velhos, terminados ou não, mas que estejam sempre lhe divertindo!

Conheça o Vídeo Game Data Base, o museu virtual brasileiro dos videogames.



imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.