A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 22 de Agosto de 2018

14/12/2017 12:18

Frank West e sua horda de zumbis estão de volta em um pacotão no PS4

Mozart Geraldo
Frank West e sua horda de zumbis estão de volta em um pacotão no PS4

Como um morto-vivo, Dead Rising 4 ressurge neste Natal em uma edição definitiva com o subtítulo “Frank’s Big Package” para os donos do PlayStation 4, mas a espera de um ano após o lançamento original no Xbox One valeu a pena? Confira na análise.

Willamette, onde tudo começou…

O shopping center localizado na pequena cidade fictícia do Colorado serviu de palco para o “surto-zumbi” inicial, e o repórter fotográfico Frank West foi o protagonista dessa aventura. Munido de sua câmera, Frank registrou toda a tragédia ocorrida no centro de compras da pacata cidade, mas falhou em sua tentativa de revelar uma conspiração do governo por trás dos horrores naquele lugar.

Dez anos mais tarde, a já reconstruída cidade de Willamette inaugura o seu novo shopping center, o Willamette Memorial Megaplex, bem a tempo das compras natalinas da Black Friday, mas ironicamente uma nova epidemia zumbi ocorre logo após a abertura do complexo, e lá está Frank novamente em busca de mais um furo de reportagem.

Por mais que este novo Dead Rising tenha maior preocupação em contar uma história, no fim das contas a trama do jogo não passa de um conjunto de clichés que servem apenas como desculpa para encher uma cidade de mortos-vivos e então nos dar a chance de trucidá-los das mais variadas maneiras.

Diversidade aqui é o que não falta, apesar do combate praticamente se resumir em ficar esmagando o botãosem parar, existe uma variedade imensa de itens espalhados pelo cenário que podem ser utilizados como instrumentos de ataque: desde tacos de beisebol até metralhadoras, e outras armas especiais que surgem por meio das mais de cinquenta combinações de objetos, como por exemplo um onde Frank veste uma máscara do Blanka de Street Fighter combinada a uma bateria de automóvel e dispara descargas elétricas nos defuntos ambulantes. Tudo é feito de forma prática e simples. Além disso, o game também conta com uma boa diversidade de veículos (que também podem ser combinados), já que desta vez não somente o shopping, mas toda a cidade de Willamette pode e deve ser explorada durante a aventura.

A câmera de Frank também voltou e agora conta com melhorias como visão-noturna e analisador de espectros, que basicamente são como o modo detetive da série Batman Arkham, mas muito mais simplificados. As tais lentes especiais permitem solucionar mistérios e encontrar alguns segredos pelo jogo, ademais as fotografias continuam rendendo pontos de experiência ao jogador e são classificadas em categorias como brutalidade, horror, tragédia, entre outras. Também é possível tirar uns selfies por aí no meio dos pútridos cadáveres rastejantes!

Frank West e sua horda de zumbis estão de volta em um pacotão no PS4

Raso como uma cova...

Se por um lado o game acerta em cheio na variedade de armas e bugigangas, o mesmo não pode ser dito quanto à sua profundidade, já que o gameplay é demasiadamente simplificado e a estrutura das missões se resume basicamente em percorrer do ponto A ao ponto B matando zumbis no caminho, algo que acaba por se tornar repetitivo muito cedo, mesmo com tamanha diversidade de armamentos. Em pouco tempo eu me peguei desviando dos inimigos, evitando combates o máximo possível, não pelo risco, já que eles não oferecem desafio algum, mas pela perda de tempo que aquilo me causaria pois as recompensas por enfrentá-los são praticamente inexistentes. A Capcom também removeu por completo o limite de tempo para se terminar o jogo, tanto para tornar a experiência mais amigável aos novatos quanto para permitir que a nova e imensa cidade do jogo fosse melhor explorada.

De certa forma, isso permite que o jogador se aventure em Dead Rising 4 no seu próprio ritmo, contudo toda a tensão e senso de urgência desapareceram, característica que era marcante nos games anteriores. Fora as missões principais, que são divididas em sete episódios (chamados aqui de casos), o game conta também com algumas missões secundárias, que se resumem em coletar jornais, projetos de armas, resgatar sobreviventes e realizar desafios de fotografias. Nenhuma dessas side quests são particularmente especiais, e acrescentam pouca variedade à estrutura do jogo.

Além dos famosos zumbis, há outra ameaça em forma dos sobreviventes que surtaram devido aos horrores das circunstâncias, alguns se tornaram os “maníacos” do game, que servem como chefes opcionais e de certa forma substituem os “psicopatas” dos games anteriores. Apesar de não ser obrigatório combatê-los, esses inimigos proporcionam alguns dos momentos mais divertidos e desafiadores de todo o jogo, diferente dos mercenários da corporação Obscuris, que agem como os verdadeiros antagonistas do game, mas não passam de um bando de soldados armados bastante genéricos.

Frank West e sua horda de zumbis estão de volta em um pacotão no PS4

Bela decoração natalina!

Graficamente, Dead Rising 4 é longe de ser impressionante, mas possui uma enorme riqueza de detalhes, principalmente no que diz respeito à ambientação. Toda a cidade de Willamette conta com decorações e ornamentos com temática natalina, desde guirlandas enfeitando as portas das casas até zumbis vestidos como ajudantes do Papai Noel, assim como floquinhos de neve e luzes decorativas nos menus de jogo.

A trilha sonora ajuda a complementar essa atmosfera de comemorações de fim de ano com músicas como “Jingle Bells” e “Let it Snow”.

Vale ressaltar a ótima qualidade da localização brasileira (feita pelo Maximal Studio), que além de exibir todos os textos e menus em português, ainda conta com um excelente trabalho de dublagem, com destaque para o fantástico trabalho de Charles Dalla, a voz de Frank West, que ficou com aquele ar canastrão e sarcástico, bastante característico do protagonista da série.

Todo o conteúdo adicional lançado anteriormente está presente em Dead Rising 4: Frank’s Big Package, que inclui três expansões: a Super Ultra Dead Rising 4 Mini Golf (sim esse é o nome!), Frank Rising e o inédito Capcom Heroes.

Dead Rising 4 também possui modo multiplayer online cooperativo, onde você controla sobreviventes tentando durar o máximo de dias possível dentro do shopping. Mas não há muito o que se fazer e demora demais para completar um lobby de jogo, tornando a experiência completamente dispensável.

Se neste Natal você busca uma experiência descompromissada e curte jogos no estilo sandbox. Com conteúdos adicionais e melhorias suficientes para garantir muitas horas de diversão e umas boas gargalhadas, Dead Rising 4: Frank’s Big Package é a versão definitiva do game e certamente vale a compra. Não vão faltar corpos de zumbis pelas ruas.

Cópia digital do jogo gentilmente fornecida pela Capcom para essa análise.

Conheça o Vídeo Game Data Base, o museu virtual brasileiro dos videogames.



imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.