A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 20 de Agosto de 2018

07/08/2018 08:35

Camila e Anielle abrem “dogão” self-service para realizarem sonho da maternidade

As duas são casadas e trabalham o dia todo para conseguir viabilizar fertilização

Thailla Torres
Juntas há três anos, Camila e Aniele desejam ser as mamães do próximo ano. (Foto: Arquivo Pessoal)Juntas há três anos, Camila e Aniele desejam ser as mamães do próximo ano. (Foto: Arquivo Pessoal)

Quando Camila e Aniele escolheram ficar juntas e junto veio o desejo de ser mãe. Há um ano, elas tentam economizar para o processo de fertilização, mas a caminhada não tem sido fácil. Agora, fazem jornada dupla como donas de uma lanchonete no Conjunto Buriti, para o faturamento viabilizar o sonho de ter um filho.

Localizada na Rua João Amadei, de terça a sábado, a lanchonete oferece self-service de cachorro-quente por apenas R$ 6,00. O cliente coloca tudo o que quiser e o que couber dentro do pão. Além de salsicha e molho, tem milho, azeitona, batata palha, ervilha, tomate, calabresa, alface, queijo, cenoura e molhos para servir à vontade.

Foi a alternativa que Camila Barbosa, de 26 anos, e a esposa Anielle Matos, de 28, encontraram para ter um filho, quem sabe três. Esse foi o sonho desde que se conheceram, quase 8 anos atrás. Juntas no amor estão há três anos, mas casadas vão completar dois e desde então lutam pela tentativa de engravidar.

O cliente monta o lanche do jeito que quiser.O cliente monta o lanche do jeito que quiser.

O primeira tentativa elas esperam fazer no próximo ano. Mas é preciso arrecadar, aproximadamente, R$ 17 mil. O valor pode chegar a R$ 19 mil, de acordo com "exames, contagem de hormônio, medicação e ultrassons", menciona Anielle.

É nela que será realizado todo procedimento para o bebê ser gerado, no entanto, Camila é quem vai doar os óvulos, que também diminui o valor da fertilização. "A gente ainda vai doar os óvulos para baratear o tratamento, depois é necessário comprar um esperma no banco de doação e todo esse dinheiro é apenas para uma tentativa", detalha.

De um jeito simples ela resume como tudo será feito. "A Camila vai tomar a medicação hormonal para estimular a produção óvulos, em seguida eu começo a tomar medicação para bater o nosso ciclo de fertilização. A metade dos óvulos dela vão para um banco de doação e outra metade fica com a gente. Depois é feita fecundação e inserido os óvulos dela em mim. Daí em diante o processo é todo realizado comigo", explica.

O que parece ser um processo difícil, dura bem menos tempo do que elas tem esperado até agora. Mas nem Anielle e nem Camila pensaram em desistir. Houve um tempo que bateu o desespero e Anille chegou a pensar que se fosse da vontade de "Deus", ela não teria mais nenhum filho. "Logo que conseguimos abrir o cachorro quente, roubaram nossa moto, em seguida compramos um carro cheio de problemas e aquilo me fez pensar que a gestação não era para acontecer", lembra.

As duas contam que foi na fé que encontraram respostas. "Somos evangélicas e, na igreja, um dia o pastor disse no culto que a pessoa que estava querendo um filho não era para desistir. Aquilo nos tocou profundamente e tive certeza que nosso vai dar certo".

Cabe de tudo dentro do cachorro-quente. Cabe de tudo dentro do cachorro-quente.

Desde então, as duas não param. Camila trabalha numa empresa de comunicação visual, Anielle é tatuadora. Ambas trabalham em horário comercial, usam a hora do almoço para fazer compras para a lanchonete e só após às 19h, começam o "segundo round" pelos filhos.

"E não é só o dinheiro para o procedimento. Eu e Anielle estamos trabalhando muito porque vamos dar o melhor aos nossos filhos, a poupança é uma garantia para cuidados com a saúde e todas as necessidades nos primeiros anos de vida", explica Camila.

Além do cachorro-quente, Anielle está em busca de empresas que aceitem receber o cofrinho de doações feito por elas. "Igual troco-solidário de supermercado, sabe? Então, a gente deixa o cofrinho e a pessoa pode doar aquilo que sentir vontade. Por enquanto conseguimos duas empresa, uma delas é uma loja de roupas infantis".

A certeza de ter um filho veio no primeiro ano de namoro quando Camila fez uma surpresa no quarto de Anielle. "Ela colocou três meias de neném em cima da cama e disse: um dos presentes que eu te dou é o futuro", lembra.

Para a esposa, não resta dúvidas que foi a melhor decisão já tomada. "Ter um filho com ela será a melhor vida. Não tem outra expectativa do que ter uma família com a Anielle. As nossas conversas, planos e metas, é muito diferente de tudo que já vi nessa vida", declara Camila.

As duas também mencionam a realidade em um processo de fertilização, onde a primeira tentativa pode não dar certo. "Isso acontece, mas quando a gente acredita, dá certo. Nossa nossa confiança é muito maior".

A lanchonete fica na Rua João Amadei, 413, Buriti. O telefone para contato é (67) 99199-0269 (WhatsApp)

Não tem outra expectativa do que ter uma família com a Anielle, diz a esposa Camila."Não tem outra expectativa do que ter uma família com a Anielle", diz a esposa Camila.


imagem transparente

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.