ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEXTA  01    CAMPO GRANDE 22º

Sabor

Futuro corredor gastronômico, rua já tem "point" famoso para comer bem

Rua Olímpio Klafke, que será transformada em Corredor Gastronômico, ainda é tímida, mas já possui boas opções

Por Aletheya Alves | 09/06/2022 08:32
O Lado B foi até o corredor para ver o que o local já oferece para a freguesia. (Foto: Paulo Francis)
O Lado B foi até o corredor para ver o que o local já oferece para a freguesia. (Foto: Paulo Francis)

Ainda tímida, a Rua Olímpio Klafke, que será transformada no Corredor Gastronômico, Turístico e Cultural do Bairro Mata do Jacinto, já tem boas opções para um "rolê" gastronômico e gente com história para contar. Desde sobá criado há mais de 15 anos até barraquinha antiga de dogão, a via é paixão dos comerciantes.

Sem saber muito bem como será a instituição do corredor, quem já trabalha na rua garante que a população tem muita comida gostosa para experimentar. Aprovado neste mês, o projeto de lei, de autoria dos vereadores Otávio Trad e Ademar Vieira Júnior, o Coringa, ambos do PSD, justifica que o objetivo é reconhecer, estruturar e consolidar o espaço como um local confiável e agradável para ser frequentado.

Por isso, o Lado B foi até o bairro para ver o que já há de opções antes mesmo dos investimentos chegarem.

Localizada entre as ruas Marquês de Herval e Oliva Enciso, a Olímpio Klafke tem sido o lar comercial da família Hachimoto há mais de 15 anos. Atual proprietária da Sobaria Hiroshima, Inês Hachimoto, de 54 anos, conta que assumiu a direção do restaurante há cinco anos.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Meu pai é japonês e minha mãe brasileira, então o restaurante é tradicional. O nome do lugar se tornou Hiroshima não devido à avenida aqui da cidade, mas porque eu morei por lá durante um bom tempo", conta Inês.

Curiosa com a ideia de transformar a rua em Corredor Gastronômico, Inês explica que só vê pontos positivos, já que com investimentos, novos clientes poderão se interessar pela região. E garantindo que a comida é variada, detalha que só no seu restaurante, há desde sobá e pastel até comida caseira.

Wlad Lanches é a alternativa para quem tem vontade de comer o X-Triplex, diz o dono, Jean Brito. (Foto: Paulo Francis)
Wlad Lanches é a alternativa para quem tem vontade de comer o X-Triplex, diz o dono, Jean Brito. (Foto: Paulo Francis)

Caminhando um pouco mais, a próxima opção culinária muda bastante. Em um trailer, o Wlad Lanches é a alternativa para quem tem vontade de comer algo mais simples, como um misto quente, ou aquele lanche para matar a fome: um X-Triplex.

Responsável pelo trailer, Jean Carlos Costa Brito, de 37 anos, detalha que a rua costuma ser muito frequentada aos fins de semana. “A gente gosta aqui do ponto, eu mesmo vim aqui para o trailer por isso. Estou há pouco mais de um ano trabalhando e é bacana.”

Espetinho é renda extra de professor José Ferreira, incentivador do Corredor Gastronômico. (Foto: Paulo Francis)
Espetinho é renda extra de professor José Ferreira, incentivador do Corredor Gastronômico. (Foto: Paulo Francis)

Em seguida, logo ao lado do Wlad Lanches, mais um trailer oferece lanches na rua, com diferencial de também vender espetinhos. Quem conversou conosco foi José Ferreira de Andrade, o professor da Escolinha Esquerdinha.

O professor e a escola de futebol ficaram famosos em 2021, após o educador viralizar na internet transportando um time de futebol completo em um Fiat Uno. Era a maneira que o professor conseguia transportar as crianças que não tinham transporte. Neste ano, ele aposentou o carro e finalmente conseguiu realizar o sonho de comprar um ônibus para levar os pequenos atletas do projeto social que coordena no Bairro Nova Lima.

Além da escola, o professor trabalha durante a noite ajudando a família no trailer de lanches. De acordo com José, ele foi um dos moradores que entrou em contato com o poder público para a instituição do Corredor.

“Nós queremos mais segurança para trabalhar, então fomos atrás. Aqui tem muita coisa boa, opção para os moradores, só falta o investimento”, explica. No cardápio da lanchonete, há desde X-Burger por R$ 10 até X-Tudo por R$ 30.

Ao lado, um espaço dedicado ao delivery também faz parte da rua. Pequeno, o Nico Sushi está no bairro há pouco mais de dois anos e recebe pedidos pela entrega.

Petiscos da Mata é outro point com variedade de pratos quentes. (Foto: Paulo Francis)
Petiscos da Mata é outro point com variedade de pratos quentes. (Foto: Paulo Francis)

Próximo aos trailers, é a vez do Petiscos da Mata, localizado no número 328, da Rua Olímpio Klafke. Com um espaço amplo e mais estruturado, os clientes podem pedir tanto por sobá quanto por picanha na brasa, espetos, bifão, porções e jantar com filé de tilápia ou pacu.

Logo em frente, está o que também não poderia faltar em um Corredor Gastronômico: o tradicional cachorro-quente. Criado por Odair Fernandes, o Cachorro-Quente do Turu existe há mais de dez anos por ali.

Odair Fernandes ao lado do carrinho de cachorro-quente, que já é conhecido na região. (Foto: Paulo Francis)
Odair Fernandes ao lado do carrinho de cachorro-quente, que já é conhecido na região. (Foto: Paulo Francis)

Feliz com o novo título que a rua irá receber, Odair explica que quando começou a trabalhar no bairro com o dogão, não imaginava que o espaço iria se popularizar. “Tinha bem pouca coisa, umas três pessoas vendendo comida. Fico contente que agora vai ser Corredor, isso é só positivo mesmo”, completa.

Já se aproximando da listagem final dos estabelecimentos que estavam abertos durante nossa visita, mais opções de lanche compõem a rua. Também antigo, o Zepellin Lanches comercializa opções com hambúrguer, filé mignon, frango, salsinha e cachorro-quente prensado.

Cachorro-quente sendo preparado no Cachorro-Quente do Turu. (Foto: Paulo Francis)
Cachorro-quente sendo preparado no Cachorro-Quente do Turu. (Foto: Paulo Francis)

Semelhante, o último espaço da Olímpio Klafke, na esquina com Marquês de Herval, é o recente Boka Lanches. Assim como o Zepellin, o espaço conta com variedade de lanches, que vão desde os tradicionais até os mais gourmets.

Conforme explicado pelos comerciantes, outras opções alimentícias também costumam estar abertas na rua. Especificamente nesta quarta-feira (8), quando fomos ao local, alguns espaços estavam fechados ou vazios, então vale conferir pessoalmente se a região agrada o seu gosto! Veja no mapa a localização do futuro corredor:

Futuro corredor gastronômico na Mata do Jacinto. - Arte: Henrique Lucas
Futuro corredor gastronômico na Mata do Jacinto. - Arte: Henrique Lucas

Acompanhe o Lado B no Instagram @ladobcgoficial, Facebook e Twitter. Tem pauta para sugerir? Mande nas redes sociais ou no Direto das Ruas através do WhatsApp (67) 99669-9563 (chame aqui).

Nos siga no Google Notícias