ACOMPANHE-NOS    
DEZEMBRO, TERÇA  07    CAMPO GRANDE 33º

Lado Rural

Em palestra, Tereza Cristina comemora aberturas de novos mercados internacionais

Durante painel, ministra da Agricultura destaca números nacionais e declara “estamos vivendo um bom momento"

Por Beatriz Magalhães | 25/11/2021 19:24
Tereza Cristina foi um dos nomes da 24ª Conferência Unale. (Foto: Kísie Ainoã)
Tereza Cristina foi um dos nomes da 24ª Conferência Unale. (Foto: Kísie Ainoã)

Durante painel na 24ª conferência da Unale (União Nacional dos Legisla e Legislativos Estaduais), a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, afirmou que um dos principais objetivos da pasta é a abertura de novos mercados internacionais. “Perdi a conta da quantidade de abertura de mercado que já tivemos desde 2019, mas já passamos dos 170 mercados abertos”, pontua a ministra.

Durante o painel “Aspectos Econômicos do Agronegócio”, a titular da pasta da Agricultura comemorou os números de produção e exportação do País, afirmando que o setor vive um bom momento, contudo, ela pontua que o País precisa ter certa autossuficiência, em relação à produção de fertilizantes, que tem estado em falta na Rússia, país parceiro.

“A Rússia é um país estratégico do Brasil e fomos até lá para garantir que o País tenha a garantia de que vai receber fertilizantes. Mas não podemos depender em mais de 80% de importação de fertilizantes. Grandes concorrentes como Estados Unidos e China produzem exatamente o que não temos aqui (80%) e precisamos investir nisso”, pontua.

Além disso, a titular comentou ainda sobre a adequação da infraestrutura para integração de polos logísticos e viabilização de empreendimentos, além de promover vantagens competitivas na cadeia de produção nacional de fertilizantes, justamente para suprir o mercado interno, modernizando e ampliando as plantas e projetos já existentes no Brasil.

Financiamento privado - Tereza Cristina ressaltou também que o setor agropecuário tem se mostrado atrativo ao mercado financeiro. Segundo dados apresentados por ela, de julho a outubro de 2021, os recursos do crédito rural não controlados cresceram 42% se comparado ao mesmo período de 2020.

Durante o evento, também foi ressaltado que os estoques de títulos registrados cresceram de forma significativa, sendo R$ 97,5 bilhões em setembro deste ano, ante R$ 17 bilhões em julho de 2020 e que os registros das garantias ainda são um desafio para o governo.

Outros pontos importantes destacados foram em relação às perspectivas ambientais. "Nós temos como meta acabar com o desmatamento até 2028. Precisamos que as práticas sustentáveis cheguem até o produtor rural, seja até mesmo por meio de assistência técnica”.

Crédito Rural - O governo estima que cerca de 45% do total contratado para as finalidades de custeio e investimento do crédito rural é destinado a empreendimentos com alguma medida ambiental. De acordo com dados do MAPA, na temporada atual, foram disponibilizados R$ 251,22 bilhões para o Plano Safra 2021/22, dos quais R$ 177,7 bilhões foram para custeio e comercialização e R$ 73,44 bilhões para investimento.

A ministra pontuou ainda que a demanda por recursos segue bastante aquecida. “Nos primeiros quatro meses da safra, R$ 39,2 bilhões (53% do programado) já foram contratados para investimento e outros R$ 85,3 bilhões (48% do programado) foram destinados para custeio, comercialização e industrialização”;

Além disso, a ministra salientou também o alcance recorde brasileiro em 2021, no Valor da Produção Agropecuária, que atingiu R$ 1,1 trilhão.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário