ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, SEXTA  19    CAMPO GRANDE 29º

Meio Ambiente

“A gente fecha aqui uma herança de 30 anos”, diz Trad ao trancar lixão

Paula Maciulevicius e Viviane Oliveira | 31/12/2012 09:25
Prefeito Nelsinho e vice Edil fecham o portão de acesso ao lixão na manhã deste 31. (Foto: Luciano Muta)
Prefeito Nelsinho e vice Edil fecham o portão de acesso ao lixão na manhã deste 31. (Foto: Luciano Muta)

“Com a contribuição dos catadores e da empresa que venceu a licitação, a gente fecha aqui uma herança de 30 anos”. A afirmação foi feita na manhã deste dia 31, pelo prefeito Nelson Trad Filho (PMDB), durante o fechamento do acesso ao lixão.

Quase próximo das 9h da manhã, o prefeito, acompanhado do vice, Edil Albuquerque e dos secretários de Infraestrutura, Transporte e Habitação, João Antônio De Marco, de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano, Marcos Cristaldo e do secretário de Governo, Rodrigo Aquino trancou o portão de entrada do lixão.

O fechamento contou também com a presença de catadores, agora cadastrados na usina de tratamento de resíduos.

Trad iniciou o discurso dizendo que é um momento histórico e que deixou o fechamento para o último dia de mandato. Aos trabalhadores, ele explicou que a prefeitura fez isso para dar à eles um futuro melhor.

Sobre a confusão entre catadores e Polícia Militar, que marcou o dia em que o lixão foi fechado, entre feridos e ao menos nove trabalhadores presos, o prefeito disse que entende o lado dos catadores e que toda mudança traz transtornos.

“Daqui seis meses vocês vão ver a mudança. Hoje vocês vão continuar com o sustento, mas vão ter dignidade e equipamento de segurança”, comentou.

O prefeito explicou também que o fechamento seguiu experiências de outros municípios e foi baseado em estudo. “O trabalho foi feito em cima de técnica. Fomos visitar outros lugares para conhecer a realidade dos catadores que já trabalhavam em usina para trazermos só os acertos”, destacou.

Na frente dos trabalhadores, o prefeito pediu ao superintendente da Solurb, empresa que venceu a licitação para administrar o lixo da Capital, Elcio Terra, que não deixasse os catadores na mão. “A expectativa deles tem que ser resolvida”.

Nelsinho finalizou o fechamento dizendo que guardaria a chave que usou para fechar o lixão em um quadro e que encerra o mandato feliz. “Em poder entregar as ações de saúde, educação e assistência social”.

Lixão – O fim do lixão na saída para Sidrolândia foi anunciado em 18 de dezembro deste ano. O dia foi de confrontos. Os catadores reclamavam pelo fim do ganha-pão, mesmo ainda que advindo de um cenário em que homens são equiparáveis a bichos. Já a Polícia estava lá para cumprir a ordem da prefeitura de Campo Grande e usaram além de bombas de efeito moral, balas de borracha.

A 130 pessoas, foi garantido o trabalho na usina de triagem do aterro sanitário, onde serão separados os materiais recicláveis. O local começa a funcionar de forma improvisada, com esteira e prensas emprestadas por uma empresa ao consórcio CG Solurb, que venceu licitação e vai receber R$ 1,3 bilhao pelos próximos 25 anos.

A licitação, aliás, levou vários segmentos - como associações, políticos e entidades - recorrerem a Justica. O certame foi lançado em maio e concluído cinco meses depois. A vencedora reúne a Financial, responsável pela coleta do lixo desde 2005, e a LD Construções Ltda. O consórcio tem a responsabilidade de implantar um crematório para animais de pequeno porte, coleta e tratamento do lixo hospitalar, coleta seletiva, recuperar o lixão. Além da conclusão do aterro sanitário Dom Antônio Barbosa II e implantação do aterro sanitário “Erêguaçu”.

Nos siga no Google Notícias