ACOMPANHE-NOS    
JULHO, QUARTA  15    CAMPO GRANDE 19º

Meio Ambiente

“Caçador” é preso após matar tatu a 200 metros de quartel da PMA

Por Paulo Fernandes | 27/10/2011 21:37
Tatu-peba foi morto com um pedaço de madeira (Foto: PMA / Divulgação)
Tatu-peba foi morto com um pedaço de madeira (Foto: PMA / Divulgação)
O homem autuado pelo crime ambiental não teve a identidade revelada pela PMA (Foto: Divulgação)
O homem autuado pelo crime ambiental não teve a identidade revelada pela PMA (Foto: Divulgação)

Um dia após ser instalado um quartel da PMA (Polícia Militar Ambiental) em uma reserva florestal, em Três Lagoas, um homem foi preso, nesta quinta-feira, por matar um tatu-peba a apenas 200 metros do novo edifício.

Em nota encaminhada à imprensa, a polícia ambiental afirma que o “caçador” foi ousado ao cometer o crime ambiental tão perto do quartel, instalado em uma reserva florestal de 12 hectares.

Segundo a PMA, o “caçador” seguia em um veículo quando avistou o bicho nas proximidades da reserva. Ele desceu do carro, pegou um pedaço de madeira e matou o animal.

Mas policiais que chegavam ao quartel viram o “caçador”, que tentou fugir, mas acabou detido.

Ele foi autuado pelo crime ambiental e poderá ser condenado a pena de 6 meses a 1 ano de detenção. Além disso, o autuado foi multado administrativamente em R$ 500.