ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUINTA  28    CAMPO GRANDE 25º

Meio Ambiente

Com HR "exclusivo" para covid, picada de escorpiões agora é caso para UPAs

Vítima de picada não deve ir direto em hospitais, porque só atendem quem passou pela Central de Regulação

Por Caroline Maldonado | 22/09/2021 12:39
Escorpião é um dos animais peçonhentos que aparecem com mais frequência em casas, entre setembro e março. (Foto: Divulgação/Ministério da Saúde)
Escorpião é um dos animais peçonhentos que aparecem com mais frequência em casas, entre setembro e março. (Foto: Divulgação/Ministério da Saúde)

Meses mais quentes e chuvosos trazem mais casos de picadas de animais peçonhentos, como escorpiões, aranhas e cobras. No desespero, muitas pessoas não sabem onde ir quando são picadas. Antes da pandemia, o HRMS (Hospital Regional de Mato Grosso do Sul) era referência em tratamento de intoxicação, mas o local deixou de ser referência em especialidades, para atendimento exclusivo de pacientes de covid-19.

Portanto, quem sofre picada deve procurar uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento, CRS (Centro Regional de Saúde), mais próxima, conforme a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde).

Não adianta ir direto aos hospitais, porque as unidades de pronto atendimento têm que fazer a transferência do paciente pela Central de Regulação.

Apesar do HRMS ter o PAM (Pronto Atendimento Médico), o hospital recomenda como ideal, a procura das UPAs. Em nota, a assessoria explica que o hospital passa por “processo de retomada dos atendimentos ambulatoriais e das referências, mas até o momento, não foi definido ainda, se o HRMS volta a ser referência em tratamento de intoxicação”, diz a nota.

O HR lembra que o Civitox (Centro Integrado de Vigilância Toxicológica) tem autonomia para atuar em quaisquer domicílios dentro do Estado, levando os soros para todo MS. “Entretanto, vale ressaltar que a pessoa que necessita deste tipo de atendimento, deve procurar a unidade de saúde mais próxima e o mais rápido possível para dar início ao tratamento”, explica o HR.

Informações - Com o Civitox, é possível conseguir informações de suporte técnico-científico, orientação, conduta em toxicologia clínica e notificar os casos. O atendimento é pelos telefones 0800 722 6001, (67) 3386-8655 ou 150. O centro é um dos pioneiros na área da toxicologia clínica no Brasil.

Como evitar - Para prevenir-se de picadas de animais peçonhentos, o Civitox recomenda não colocar as mãos em tocas ou buracos na terra, tocos de árvores, cupinzeiros, entre espaços situados em montes de lenha ou pedras.

Caso seja necessário mexer nestes locais, é sugerido o uso de um pedaço de madeira ou enxada.

Outra dica, é verificar roupas, calçados, toalhas de banho e de rosto, roupas de cama, panos de chão e tapetes antes de usá-los, para não ser surpreendido com um animal.

Camas e berços devem ser afastados das paredes e é preciso evitar pendurar roupas fora dos armários. Além disso, não se deve deixar que lençóis ou cobertores encostem no chão, pois escorpiões e aranhas podem subir e ficar entre esses tecidos e travesseiros.

Também  é importante nivelar as frestas das calçadas, pisos, paredes e portas; colocar uma barreira de proteção na parte inferior das portas e deixar as lixeiras sempre tampadas e com sacos plásticos.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário