ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, DOMINGO  21    CAMPO GRANDE 24º

Meio Ambiente

Com tanta serpente aparecendo por aí, biotério lança "disque resgate"

De janeiro a dezembro de 2020, PMA resgatou 66 cobras; este ano, só até maio, o número já chegou a 48

Paula Maciulevicius Brasil | 19/05/2021 13:25
Disque resgate de serpentes agora funciona com orientações também aos finais de semana. (Foto: Assessoria de Comunicação UCDB)
Disque resgate de serpentes agora funciona com orientações também aos finais de semana. (Foto: Assessoria de Comunicação UCDB)

Com o tanto de serpentes aparecendo pelos bairros da Capital, o biotério da UCDB (Universidade Católica Dom Bosco) agora concentrou o serviço de resgate no "disque resgate". Funcionando em horário comercial de segunda a sexta e com plantões aos finais de semana, é possível ligar ou mandar um WhatsApp para o número 3312-3688 e acionar o resgate no caso de encontrar com uma cobra por aí.

Dados da PMA (Polícia Militar Ambiental) mostram que o número de animais capturados aumentou 72% comparado com ano passado. De janeiro a dezembro de 2020, os militares resgataram 66 cobras/serpentes, em 2021, só até maio o número já chegou a 48 resgates.

Para a bióloga do biotério, Fernanda de Cássia Gonçalves Alves, a maior incidência é fruto do aumento da urbanização da cidade aliada às altas temperaturas "Quanto mais a cidade cresce, maior o aparecimento das serpentes em residências e áreas urbanas", explica.

Biotério trabalha com animais para pesquisa. (Foto: Assessoria de Comunicação UCDB)
Biotério trabalha com animais para pesquisa. (Foto: Assessoria de Comunicação UCDB)

Quem trabalha no resgate e também nas pesquisas percebe que o aumento tem sido em especial da espécie "Bothrops alternatus", popularmente conhecida como urutu-cruzeiro, cruzeira ou jararaca, principalmente na região da Base Aérea, aeroporto e bairro União.

Com o resgate funcionando das 7h às 17h de segunda a sexta, o biotério vai ter sempre um funcionário à disposição da população para tirar dúvidas. "Quando as pessoas ligam, geralmente elas estão bem assustadas, perguntam se ela é venenosa, como pode segurar a serpente", conta Fernanda.

Do outro lado da linha, a orientação é para que o animal seja contido até que o resgate possa chegar. "Aconselhamos utilizar um cabo de vassoura ou rodo para tirar ela do local com muita calma e colocar um balde em cima", explica a bióloga.

Junto do "disque resgate", o biotério reforça a conscientização para que as pessoas não matem as espécies. "É extremamente importante não abater a cobra, pois o veneno é utilizado em pesquisas para a produção de novos fármacos e do soro antiofídico pelo Instituto Vital Brasil, localizado em Niterói, no Rio de Janeiro, que é distribuído para todo o Brasil", explica a coordenadora do Biotério UCDB, professora Dra. Paula Helena Santa Rita.

São 34 serpentes moradoras do biotério, e número tende a aumentar com disque resgate. (Foto: Assessoria de Comunicação UCDB)
São 34 serpentes moradoras do biotério, e número tende a aumentar com disque resgate. (Foto: Assessoria de Comunicação UCDB)

No biotério UCDB são mantidas 34 serpentes urutu-cruzeiro, nativa do Cerrado, sendo que neste ano, a instituição recebeu até o momento três resgatadas pela PMA e uma resgatada pelo próprio biotério. Todos da região do Aeroporto e Base Aérea da Capital.

Desde que o "disque resgate" começou, o biotério recebeu apenas um chamado, mas a serpente estava em via pública e escapou até a chegada da equipe

O telefone do "disque resgate" é o 3312-3688, que recebe tanto ligações como mensagens de WhatsApp. O trabalho de resgate conta com a parceria do Conselho Regional de Medicina Veterinária de Mato Grosso do Sul, e ainda funciona como apoio à Polícia Militar Ambiental, que resgata os pedidos que chegam pelo telefone: 3357-1501.

Nos siga no Google Notícias