ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, TERÇA  25    CAMPO GRANDE 29º

Meio Ambiente

Em 4 dias, Polícia Ambiental aplica R$ 163 mil em multas e prende 5 pessoas

Operação é executada anualmente pela polícia ambiental para combater crimes durante feriado

Liana Feitosa | 20/06/2022 13:36
Pescado apreendido em Coxim. (Foto: PMA / Divulgação)
Pescado apreendido em Coxim. (Foto: PMA / Divulgação)

Entre quinta-feira (16) e hoje (20), a PMA (Polícia Militar Ambiental) de Mato Grosso do Sul aplicou R$ 163 mil em multas, autuou 12 infratores, apreendeu 117 quilos de pescado e prendeu 5 pessoas por pesca predatória durante a Operação Corpus, realizada com objetivo de inibir crimes ambientais no Estado.

De acordo com a PMA, 280 policiais estiveram envolvidos na operação que ocorreu em rios, estradas e em propriedades rurais durante o feriado prolongado de Corpus Christi. Neste ano, foi verificada redução de 37% no número de autuados em relação à operação realizada no ano passado: foram 19 autuados administrativamente em 2021 e 12 em 2022.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Ao todo, foram apreendidos 117 kg de pescado, número 16% superior ao obtido na operação de 2021, quando foram apreendidos 101 kg. O pescado apreendido, parte dele na cidade de Coxim, foi doado a instituições de caridade.

Multas - Já em relação às multas, o resultado de 2022 foi 77% superior à operação do ano passado. Em 2022, foram aplicados R$ 163.355,00 em multas contra R$ 51.913,80 na operação passada.

Petrechos - Ainda de acordo com a PMA, em 2022 foram apreendidos menor quantidade de petrechos proibidos em relação a 2021. Foram 25 redes de pesca apreendidas, item que mais preocupa as autoridades devido seu alto poder de destruição de cardumes. No ano passado, foram apreendidas 30 redes. A operação ainda retirou 187 anzóis de galho dos rios.

“Essas apreensões de petrechos ilegais, principalmente sua retirada dos rios, têm sido uma preocupação da PMA devido à alta capacidade de captura, bem como a dificuldade de se prender os infratores pelo pouco tempo que permanecem nos rios. É preocupante especialmente porque, mesmo que o pescador não retorne para conferir a captura, continuam capturado e matando peixes como nos casos das redes de pesca, que é o petrecho ilegal mais preocupante”, declara a PMA.

Foram ainda identificados crimes de natureza ambiental. Sete pessoas foram autuadas, sendo três por desmatamento, uma por caça de jacaré, uma por armazenamento ilegal de agrotóxico, uma por transporte ilegal de lenha e uma por incêndio área em agropastoril.

Também foram presas duas pessoas por tráfico de drogas e uma por receptação de motocicleta produto de roubo, veículo que posteriormente foi recuperado, e também uma mulher que estava foragida da Justiça.

Confira a galeria de imagens:

  • Moto roubada que foi recuperada pela PMA. (Foto: Divulgação)
  • Lenha extraída irregularmente em Corumbá. (Foto: Divulgação)
  • Jacaré abatido ilegalmente em Batayporã. (Foto: Divulgação)
  • Petrechos de pesca apreendidos em Miranda. (Foto: Divulgação)
  • Pescado apreendido em Coxim com pescador profissional. (Foto: Divulgação)
Nos siga no Google Notícias