A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 24 de Setembro de 2017

09/05/2012 17:12

Estudo aponta que 73,3% dos resíduos sólidos têm destinação inadequada em MS

Viviane Oliveira
Lixão na saída para Sidrolândia, em Campo Grande. (Foto: João Garrigó)Lixão na saída para Sidrolândia, em Campo Grande. (Foto: João Garrigó)

Em Mato Grosso do Sul, 73,3% dos resíduos sólidos produzidos no ano passado tiveram destinação inadequada. Por dia cada habitante sul-mato-grossense gerou 1,026 quilo de lixo, o que significa mais de 360 quilos ao longo de um ano todo.

A informação é da nova edição do Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil, divulgado nesta terça-feira (8) pela Abrelpe (Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais).

De acordo com o estudo, o país pouco avançou no que se refere à gestão dos resíduos sólidos urbanos em 2011. Conforme a publicação, no ano de 2011, 3.371 municípios brasileiros, 60,5% do total de 5.565 municípios, deram destino inadequado a mais de 74 mil toneladas de resíduos por dia, que seguiram para lixões e aterros controlados, sem a devida proteção ambiental.

Com a quantidade de resíduos que tiveram destino inadequado no País seria possível encher 56 piscinas olímpicas em cada dia do ano. Outros 6,4 milhões de toneladas sequer foram coletadas, o que equivale 45 estádios do Maracanã repletos de lixo.

Segundo um estudo divulgado no começo deste ano pela ABLP (Associação Brasileira de Resíduos Sólidos e Limpeza Pública) aponta que Mato Grosso do Sul precisa construir 23 aterros sanitários, que vão custar R$ 60 milhões.

O projeto da Associação foi feito porque os municípios de todo o País que ainda não têm espaço ambientalmente adequado para destinação do lixo precisam construí-lo até agosto de 2014, por determinação legislativa.

É que a Lei 12.305, que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos tem como principal meta a erradicação de todos os lixões do País. Estes têm que ser substituídos por aterros sanitários até agosto de 2014.

Em Mato Grosso do Sul, o projeto da ABLP prevê a implantação de 13 aterros sanitários de grande porte e 10 aterros sanitários de pequeno porte, a um custo de aproximadamente R$ 60 milhões.

Prefeitura publica contrato de R$ 2,2 mi para construção de usina de triagem
A edição desta quinta-feira do Diário Oficial do município traz publicação de contrato, celebrado em 2 de março entre Prefeitura de Campo Grande e a ...
Turistas do Paraná são flagrados com 20 kg de pescado irregular
Dois turistas vindos do Paraná foram presos na manhã deste domingo (24), em Anastácio, ao serem flagrados transportando duas caixas térmicas com 20 q...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions