ACOMPANHE-NOS    
JULHO, DOMINGO  12    CAMPO GRANDE 29º

Meio Ambiente

Ibama treina agentes ambientais para atuarem na Mata Atlântica

Por João Humberto | 17/12/2010 20:34
Mapa de localização do assentamento dentro da APA do Rio Paraná. (Divulgação).
Mapa de localização do assentamento dentro da APA do Rio Paraná. (Divulgação).

Agentes ambientais voluntários do Ibama/MS (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis em Mato Grosso do Sul) vão ser treinados para atuar dentro da APA (Área de Proteção Ambiental) da bacia do Rio Paraná. A área fica no sudoeste do estado e compreende inúmeras ilhas e várzeas que somam pouco mais de um milhão de hectares.

Localizados no bioma Mata Atlântica, na APA das Ilhas e Várzeas do Rio Paraná, o complexo de assentamentos Santo Antonio vai ser o cenário do curso de capacitação que termina neste final de semana no município de Itaquiraí.

Cerca de 40 agentes serão formados no assentamento, com a missão de proteger e flagrar desmatamentos, caça ilegal ou outros crimes ambientais como a pesca predatória nas lagoas, várzeas e rios que cortam toda essa região.

O conjunto de assentamentos Santo Antonio envolve quatro áreas que somam cerca de 17 mil hectares localizados parcialmente em Itaquiraí. No local escolhido para o treinamento dos agentes pelo Núcleo de Educação Ambiental do Ibama moram mais de 600 famílias. Em todo o complexo são 1.166 lotes.

Conforme Natalina da Rocha Vieira, coordenadora estadual do programa de agentes ambientais voluntários do Ibama/MS, os assentamentos ficam ao lado do Parque Nacional de Ilha Grande e estão instalados em uma área originalmente de Mata Atlântica. Por causa disso, há a necessidade de formar uma consciência maior de preservação ambiental na população local, especialmente por se tratar de pessoas que moram na APA.

David Lourenço, superintendente do Ibama/MS, destaca que o curso já é resultado da expedição realizada pela Superintendência em 22 de outubro do ano passado, que percorreu mais de 200 quilômetros ao longo do Rio Paraná, entre Porto Primavera e Mundo Novo. Problemas ambientais de várias naturezas foram encontrados.

“Flagramos construções irregulares às margens do Rio Paraná, canais de drenagem em área de preservação e desmatamentos em nascentes que já ameaçam os recursos pesqueiros da região”, afirma David.

O programa de agentes ambientais voluntários do Ibama vai completar a formação de 150 agentes neste ano. A prioridade é formar e capacitar populações que ocupam áreas de proteção ambiental e se caracterizam por se tratar de populações mais fragilizadas socialmente como ribeirinhos, assentados e índios. (Com informações da assessoria).