ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUINTA  06    CAMPO GRANDE 29º

Meio Ambiente

No Pantanal, onça "Mariposa" faz pose em trilha de madeira

Felino, conhecido como "Mariposa", chega a bocejar enquanto imagens são registradas

Por Marta Ferreira | 17/06/2020 15:34


Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Desde 2006, o guia Edir Alves, 39 anos, convive com onças-pintadas, um dos animais mais emblemáticos do Pantanal, e sempre que pode, faz registros fotográficos. O mais recente flagrante chama atenção por vários motivos: tem beleza, tem proximidade com o bicho e tem a tranquilidade de um animal que, no "seu ambiente", como faz questão de citar "Didi", não foi incomodado e teve até a paz de dar um senhor bocejo, imortalizado pelas lentes.

O flagrante está publicado nas redes sociais da Fazenda San Francisco, em Miranda, especializada em turismo ecológico. É de domingo, dia 14, quando Edir e outro guia, Jacir Lelis, considerado um dos pioneiros no trabalho de levar turistas para ver animais pantaneiros, saíram para espécie de vistoria matinal pela propriedade.

Como o atrativo turístico está fechado desde março, em razão da pandemia de novo coronavírus, "Didi" e Jacir têm usado os dias para explorar a região, fazer imagens, vídeos e, ainda, revisão das trilhas. Se algo está errado no passeio suspenso de madeira de 900 metros existente na fazenda, já é providenciado o conserto.

A "Trilha da Vazante" fica no meio de um corixo, o São Domingos. Agora, a água está baixa e os animais circulam, principalmente logo ao amanhecer, no retorno das caçadas noturnas.  

Logo cedo - Jacir havia saído primeiro aquele dia, antes das 6h, conta o colega.  De bicicleta, lembra "Didi", voltou antes perto das 7h e disse ter visto três onças, uma delas próxima da trilha.

Ao saber, Edir chamou o companheiro de trabalho para voltar ao trecho, tudo com muita calma, sem estressar os animais e sem correr risco, comenta.

De cima de um dos dois mirantes existentes, avistaram o felino com binóculo. Andaram mais um pouco, tiveram de usar outra torre, para novamente encontrar a onça. Para chegar de frente dela, deram a volta, passando pelo meio da mata fechada, e então chegaram na trilha de madeira.

A foto, segundo o guia, foi feita a mais de cem metros de onde estava o bicho. "É uma distância segura, para não correr risco, nem provocar o animal, que está no ambiente dele. Não queremos que ele pare de voltar ali".

A dupla tirou até os calçados para manter o silêncio. O resultado foram imagens belíssimas. A onça-pintada, que é conhecida na fazenda como "Mariposa", é uma fêmea adulta imponente. Circula pela região há mais de 10 anos. É reconhecida pela forma das manchas no pelagem, uma espécie de impressão digital dessa espécie.

"Mariposa" é uma onça-adulta, reconhecida por causa das manchas, cuja disposição é como uma impressão digital nesses felinos.(Foto: Edir Alves)
"Mariposa" é uma onça-adulta, reconhecida por causa das manchas, cuja disposição é como uma impressão digital nesses felinos.(Foto: Edir Alves)

Nas duas fotos publicadas, "Mariposa" está deitada, tranquilamente no meio da trilha de madeira. Na primeira imagem, só se vê o corpo. Na segunda, ela está  bocejando, com a língua de fora. É possível, também, ver os dentes expostos. Parece até que fez pose.

"Nessa hora, pensei que ela ia virar e ia conseguir pegar o rosto, mas ela continou do mesmo jeito", contou Edir Alves.

Perguntando pela repórter, que nunca viu onça-pintada a não ser no Cras (Centro de Tratamento e Reabilitação de Animais Silvestre), se ainda se surpreende depois de tantos anos vendo os animais, "Didi" revela que cada encontro é uma emoção, mesmo após quase 15 anos.

"Ao mesmo tempo que tem muita adrenalina, tem também a energia positiva e forte do animal", define Edir Alves.

No Facebook da fazenda, a foto está gerando muitos comentários e, obviamente, interesse de quem quer onças assim, nos passeios realizados. Na San Francisco, segundo a turismóloga Roberta Coelho, há pelo pelo menos uma dezena de onças que moram na borda da reserva natural.

De acordo com ela, a visitação está para ser reaberta em primeiro de julho. Antes, diz, está sendo feito o plano de biossegurança, com treinamento do pessoal. A temporada de visitação é a partir do mês que vem, com destaque para o período de agosto e setembro, quando chegam os turistas estrangeiros