ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEGUNDA  13    CAMPO GRANDE 29º

Meio Ambiente

Sindicância considerou "acidente de trabalho" primeira fuga de onça do Cras

Por Aline Queiroz | 04/01/2011 15:31

A sindicância instaurada para apurar a primeira fuga da onça-pintada do Cras (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres), ocorrida em 29 de outubro, terminou sem punições. O animal já fugiu novamente, dois dias após ser recapturado.

De acordo com o coordenador do Centro, Elson Borges, as investigações levaram a crer que foi um acidente de trabalho o que motivou a fuga do felino.

Nova sindicância foi aberta para apurar se houve negligência ou erro nos procedimentos adotados no Cras, de onde a onça fugiu pela segunda vez no dia 30 de dezembro.

O animal reapareceu em busca de comida e caiu em uma das armadilhas colocadas. Dois dias depois, a onça conseguiu destruir a cerca da jaula onde estava e desde então não é mais vista.

Desde que o animal escapou, o único trabalho para tentar recuperar a onça se resume a armadilhas espalhadas pela reserva do Parque dos Poderes.

Segundo o coordenador do Cras, Elson Borges, primeira fuga de animal foi considerada acidente de trabalho.
Segundo o coordenador do Cras, Elson Borges, primeira fuga de animal foi considerada acidente de trabalho.

Eficaz-O chefe substituto do Cenap (Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Mamíferos Carnívoros), ligado ao Instituto Chico Mendes, Rogério Cunha, acredita que esta seja a medida mais eficaz para tentar localizar o animal.

“Se o bicho está presente, se tem rastros se intensifica a busca, mas, se sumiu e não sabe para onde foi é o melhor”, argumenta Rogério.

Ele acredita que a onça não oferece risco à população e ressalta que ela ficou durante quase dois meses solta e não atacou seres humanos.

Entretanto, Rogério reforça que a situação exige cuidado. “Não dá para falar que não oferece risco algum mas não é alerta, toque de recolher”, completa.

Superlotação- Rogério conhece o Cras de Campo Grande e garante que o local tem estrutura.

Entretanto, pondera que, assim como em outros centros do País, o problema do Cras é a superpopulação.

Quando a onça foi recapturada, o secretário de Meio Ambiente, Carlos Alberto Negreiros, deu entrevista sobre o assunto. Hoje, foi procurado via assessoria de imprensa, mas não houve retorno.

Ao ser indagado esta manhã sobre o assunto, o governador André Puccinelli (PMDB), disse ter a expectativa de que a onça-pintada seja logo "reapresentada".