A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 14 de Outubro de 2019

04/04/2019 08:54

“Estou tranquilo, sei que não cometi nada”, diz vereador acusado pela ex

Nos Boletins de Ocorrência, ex-esposa relata de agressões verbais à ameaça de morte

Aline dos Santos
Vereador licenciado, Rufo Vinagre afirma que confia na Justiça e em Deus. Vereador licenciado, Rufo Vinagre afirma que confia na Justiça e em Deus.

Denunciado por violência doméstica pela ex-esposa, Antonio Rufo Sant’anna Vinagre, vereador licenciado e diretor-presidente da Fundação de Turismo de Corumbá, divulgou nota à imprensa em que informa estar tranquilo e nega agressão ou ameaça de morte contra a ex-companheira.

Os Boletins de Ocorrência foram divulgados pelo Campo Grande News na última segunda-feira (dia 1). Na ocasião, a reportagem não conseguiu contato com o vereador nem com a defesa.

“Estou tranquilo, pois sei que não cometi nada do que foi vinculado na imprensa. Lamento profundamente o oportunismo de alguns, que tentam denegrir minha imagem, sem, contudo, buscar a realidade dos fatos. Confio na justiça e principalmente em Deus!”, diz a nota.

No comunicado, o vereador diz que presta esclarecimentos por ser um homem público e pai. Ele afirma que jamais agrediu a esposa ou atentou contra a sua vida. Em seguida, menciona que o casamento durou 13 anos e que conhece o caráter e a integridade da ex-esposa.

“Muito embora a relação conjugal não mais existir, temos como maior tesouro, os nossos três filhos. Como qualquer pessoa, enfrentamos dificuldades, e todos os fatos envolvendo a nossa separação serão mensurados pela justiça”, afirma o vereador, por meio da nota à imprensa.

Violência - Registrados pela ex-esposa, os Boletins de Ocorrências têm relato de agressões verbais, ameaça de divulgar fotos íntimas nas redes sociais (uma imagem teria sido divulgada para familiares) e ameaça de morte.

No mês de junho do ano passado, durante uma separação, a vítima conta que, amedrontada, retomou o casamento, porque acaso não o obedecesse, "iria ter morte".

No dia 25 de fevereiro, a vítima relatou que estava saindo da academia, em Corumbá, quando o ex-marido, conduzindo sua caminhonete S-10, jogou o veículo em sua direção. Ela conseguiu se esquivar indo para a calçada. Nesta data, a mulher já havia requerido a suspensão da medida protetiva.

A Delegacia da Mulher de Corumbá informou que o caso está sob sigilo. A Justiça suspendeu o direito do vereador visitar os filhos, conforme divulgado no dia 20 de março no Diário Oficial do TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul).

De acordo com a prefeitura de Corumbá, o fato surpreendeu a administração municipal, que ainda não foi comunicada oficialmente pela Justiça de nenhum ato cometido pelo referido diretor-presidente.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions