A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

05/09/2016 16:35

Adalton comemora 5 segundos de fama na TV e quer parceria com pax

Aline dos Santos
Adalton Garcia é candidato a prefeito e participou de entrevista hoje no Campo Grande News. (Foto: Marcos Ermínio)Adalton Garcia é candidato a prefeito e participou de entrevista hoje no Campo Grande News. (Foto: Marcos Ermínio)

Com relato de que o slogan do candidato “sem tempo” caiu no gosto popular, Adalton Garcia (PRTB) comemora os cinco segundos de propaganda eleitoral na televisão e avalia que o programa atrai o público a conhecer suas propostas, que incluem parceria com pax na saúde, tarifa de ônibus a R$ 2 e atendimento médico nas escolas.

“A nossa campanha, ainda que seja muito humilde e pé no chão, ganhou contexto diferente depois dos programas de televisão. Na TV, eu tenho cinco segundos e devo isso por conta que o PMDB não teve candidatura própria. Se não, teríamos apenas um segundo de tempo de televisão”, diz o candidato.

Na propaganda, ele se apresenta, diz que não tem mais tempo e que precisa pedir votos. A ideia surgiu após muito reclamar de que não teria tempo, pois o partido pensava em programas de 45 segundos. “As pessoas me abordam na rua dizendo assim: você é o rapaz que não tem tempo. A mensagem que eu passei, pegou”, conta Adalton.

Saúde – Na visão do candidato, o tema precisa de propostas “pé no chão”. Ele defende a informatização de todo sistema da rede pública, com disponibilização de telefone 0800 para os pacientes se informarem sobre a escala médica; atendimento médico e odontológico dos alunos nas escolas e creches; parceria público privada para contratação de consultas médicas e atendimento em casa para a terceira idade.

Segundo ele, o custo de consulta por meio de convênio da pax custa de R$ 70 a R$ 100 para clínico geral e especialista. “Se você calcular quanto ganha um médico contratado para dar um plantão um posto médico de Campo Grande, pegar esse valor de plantão e diluir pela média de consulta, teríamos condições de o município contratar dessas empresas uma carteira de atendimento. Você desafoga os postos e faz parceria público privada”, afirma o candidato.

Segurança – Para a área, os planos são videomonitoramento na região central , nas saídas da cidade e nas unidades escolares, além de parceria com os governos federal e estadual. O candidato ainda tem proposta de estatizar o transporte coletivo e reduzir a tarifa para R$ 2.

Educação – Segundo o candidato, há oito anos é informado que Campo Grande tem déficit de 15 mil vagas para a Ceinf (Centro de Educação Infantil). Para atender mais crianças, o candidato afirma que é preciso maximizar o uso de prédio público.

Outra proposta na educação é oferecer atividade e atendimento médico no contra turno. “Não podemos pôr a criança lá 4h30 por dia e liberar as outras 4h30. No contra turno, ela passa pelo pediatra, dentista, faz pratica esportiva, dança, música”, afirma Adalton.

Câmara - “A nossa conduta com a Câmara será intensa. Eles têm a responsabilidade de fiscalizar e ajudar a gestão publica, porque se alguém errar, não erra sozinho, posso te garantir isso. Erra porque talvez não foi fiscalizado, erra porque talvez não participou de conluios. Nossa tratativa com a Câmara seria tête-à-tête. Me fiscaliza e vamos trabalhar juntos, parceria”, diz o candidato.

Adalton Garcia, 48 anos, é casado, tem três filhos e um neto. A formação é em Turismo e, atualmente, faz mestrado em gestão. Ele já foi candidato a vereador em Três Lagoas e por duas vezes candidato a deputado federal.

O Campo Grande News promove rodada de entrevistas com os postulantes ao cargo de chefe do Paço Municipal.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions