A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

06/11/2013 09:30

Aliada pede demissão imediata de secretário acusado de cobrar propina

Kleber Clajus
Luiza segue partido e quer Freire exonerado (Foto: Cleber Gellio)Luiza segue partido e quer Freire exonerado (Foto: Cleber Gellio)

A vereadora Luiza Ribeiro (PPS), uma das principais aliadas do prefeito Alcides Bernal (PP) na Câmara Municipal, exigiu a exoneração imediata do secretário municipal de Receita, Gustavo Freire. Ele foi demitido de cargo federal por improbidade administrativa pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega. O posicionamento segue determinação do PPS que emitiu nota, na terça-feira (5), cobrando a aplicação urgente da Lei da Ficha Limpa.

“Entendemos que a Secretaria de Receita é importantíssima, mas o Freire não pode permanecer por ter sido condenado em instância administrativa. O secretário deve ser demitido”, ressalta Luiza.

De acordo com a parlamentar, o posicionamento é fruto de diálogo e análise do partido quanto à demissão de Freire do cargo de auditor da Receita, na última quinta-feira (31), por cobrar propina para liberar cargas de uma refinaria de petróleo sem o pagamento de tributos.

“Achamos impossível à permanência do servidor público que não tenha Ficha Limpa, ainda mais no primeiro escalão do governo”, pontua a vereadora indicando que Bernal tem ciência do caso e desde sexta-feira (1º) procura novo nome para ingressar no cargo.

Improbidade - Com status de supersecretário na administração de Alcides Bernal (PP), Gustavo Freire foi demitido, na  quinta-feira (31), de cargo federal pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, por cobrar propina para liberar cargas de uma refinaria de petróleo sem o pagamento de tributos. O caso é tratado como improbidade administrativa, uma vez que o esquema ocorreu enquanto ele exercia a função de auditor da Receita em Corumbá, entre os anos de 2007 e 2008.

O caso veio à tona durante a Operação Vulcano, que, inclusive, apontou Freire como o responsável pela implantação de um “tabelamento” para liberação de cargas de variados tipos de mercadorias. De acordo com a investigação, alguns veículos só passavam mediante o pagamento de R$ 200. O esquema gerou prejuízo de cerca de R$ 1,165 milhão aos cofres da União.



concordo, manda logo embora ou a coisa vai ficar preto pro lado do prefeito.
 
antonio pedro em 06/11/2013 12:09:16
Cara, é so colocar outro. Bernal tem que agir rápido. Pra esse tipo de coisa não tem saída. Manda pra rua logo. Tchau e bença. Astalavista.
 
Paulo Miranda em 06/11/2013 10:34:44
Sr. Prefeito estou a disposição para ser secretário de Administração, sou Administrador e com muita experiência, tenho certeza que farei uma ótima gestão junto a Prefeitura...
Abraços.
 
Nelson Lima em 06/11/2013 10:30:28
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions