A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

10/12/2013 19:38

Aliados de Bernal dão como certa primeira nomeação para a “coalizão”

Josemil Arruda
Bernal pode decretar amanhã primeira nomeação indicada por vereador (Foto: arquivo)Bernal pode decretar amanhã primeira nomeação indicada por vereador (Foto: arquivo)

A intenção dos articuladores políticos da gestão do prefeito Alcides Bernal (PP) é iniciar amanhã a implantação do “governo de coalizão”, já com a publicação no Diário Oficial de Campo Grande (Diogrande) da primeira nomeação de novo aliado. “A nossa expectativa é de que amanhã já sai uma nomeação para começar o processo”, informou um político próximo de Bernal.

A ideia, segundo ele, é contempla “um vereador” com indicação para uma área da administração municipal. Entre os vereadores que o secretário municipal de Governo, Peddro Chaves, já conversou e tem apostado para integrar a base de apoio a Bernal estão Edson Shimabukuru (PTB), Carlos Augusto (PSB), Paulo Suifi (PMDB), Rose Modesto (PSDB), Ayrton Saraiva (DEM), Jamal Salém (PR) e Waldecy Chocolate (PP).

Também havia um bom entendimento com o vereador Paulo Pedra (PDT), que, porém, foi cassado ontem por decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Chegou a ser apontado inclusive o nome do arquiteto Dirceu Peters para a Agência Municipal de Habitação (Emha), nome que chegou a ser confirmado pelo presidente regional do PDT, João Leite Schimidt.

Outro aliado de Bernal informa que Pedro Chaves já “conseguiu avançar muito” na direção das composições para garantir a governabilidade. “Conversou com partidos, vereadores e todos estão apoiando a ideia do governo de coalizão”, informou.

Este também confirmou que realmente é possível que “saia publicado amanhã” o primeiro decreto do prefeito Bernal, nomeando indicado por novo aliado da Câmara. Indagado sobre a área que seria mexida, a fonte preferiu não informar, temendo que isso possa atrapalhar as negociações em caso de não publicação da nomeação na quarta-feira. “Está tudo sendo discutido, todas as áreas, para construir governo de coalizão”, declarou.

Há muita movimentação no sentido de dar início às mudanças. “O primeiro encaminhamento é que vai de desdobrar os próximos”, observou um aliado de Bernal. Indagado se o prefeito já aceita mudança em qualquer área, ele respondeu: “Prefeito considera que esse é o marco zero de seu governo, um novo momento”. Finalizou lembrando a importância da conquista de apoio político. “Vitória no judiciário e derrota na política não adianta nada”.

 

Governo do Estado investe R$ 9,2 milhões em infraestrutura em Caracol
Caracol vai receber mais de R$ 2,8 milhões em obras a serem executadas pelo Governo do Estado em parceria com a prefeitura e deputados federais e est...
Assembleia vota Orçamento de R$ 14,4 bilhões de 2018 na terça-feira
O Orçamento de R$ 14,4 bilhões do Governo de Mato Grosso do Sul para 2018 passará pela votação em segunda discussão na terça-feira (19) na Assembleia...


Quer dizer então que mesmo que o prefeito tenha cometido atos de improbidade administrativa, (como já disse a CPI da inadimplência, a OAB, o MPE e a Comissão Processante) com motivos para ser cassado como manda a lei depois de devidamente apurados os fatos, ele entregando cargos aos, agora "aliados", perdoa-se os desmandos que supostamente ele tenha cometido, esquece-se o que diz a lei, e fica "tudo como d'antes no quartel de Abrantes?"
 
Antonio Mazeica em 10/12/2013 22:23:44
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions