ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, SEXTA  17    CAMPO GRANDE 26º

Política

Ao lado de Delcídio, ministro anuncia plano nacional de exportações

Priscilla Peres | 16/06/2015 16:04
Ministro Armando Monteiro e o senador Delcídio do Amaral. (Foto: Assessoria)
Ministro Armando Monteiro e o senador Delcídio do Amaral. (Foto: Assessoria)

Durante audiência hoje no Senado, o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro, anunciou que pretende lançar ainda esse mês, um plano nacional para aperfeiçoar o regime tributário de exportações. O encontro foi realizado com a CAE (Comissões de Assuntos Econômicos) e a CCT (Ciência e Tecnologia).

“O governo pretende ampliar as parceiras com os Estados Unidos, a Europa e os países do Mercosul”, revelou o senador Delcídio do Amaral (PT), presidente da CAE e líder do governo no Senado. Ele ainda ressaltou a importância de o país se voltar para a política de exportação e competitividade.

Durante a audiência, o ministro mostrou dados do comércio externo para provar que é necessário que haja uma reforma no setor. "Hoje no Brasil são necessários 13 dias para se processar uma exportação, período muito longe da média dos demais países, que varia de 6 a 7 dias". O plano a ser lançado vai focar ainda na desburocratização e a simplificação de procedimentos para os exportadores.

A esperança de Armando Monteiro é que o plano de exportações mobilize o setor privado. Na opinião dele, o comércio exterior não pode ser apenas “uma válvula conjuntural”, mas uma canal permanente da economia, sem variar conforme a conjuntura. "Nossa corrente de comércio externo representa 20% do PIB, quando a média dos países desenvolvidos é quase o dobro".

Para Delcídio, a audiência com o ministro Armando Monteiro foi muito importante por abordar temas fundamentais para o país: a política de exportação, a competitividade e o impacto do câmbio nos preços internacionais dos produtos fabricados no Brasil .

"Esse é o grande desafio. Os países desenvolvidos investiram muito em tecnologia e no Brasil não é diferente. Se o pais não entender o momento que estamos vivendo ficará para trás porque hoje tecnologia é tudo. Só avança quem tem tecnologia”, avaliou o senador.

Nos siga no Google Notícias