A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 22 de Agosto de 2017

12/11/2015 16:37

Após audiência, senadores apoiam criação do Consórcio Brasil Central

Mariana Rodrigues
O senador Delcídio do Amaral, juntamente com os governadores que fazem parte do Consórcio Brasil Central. (Foto: Divulgação)O senador Delcídio do Amaral, juntamente com os governadores que fazem parte do Consórcio Brasil Central. (Foto: Divulgação)

Durante audiência pública, senadores apoiaram a criação do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil Central. O bloco econômico e político foi recém-criado pelo governador de Mato Grosso do Sul Reinaldo Azambuja (PSDB), juntamente com outros governadores da região Centro-Oeste, além de Tocantins e Rondônia.

Os governadores receberam o apoio dos senadores Delcídio do Amaral (PT/MS), Waldemir Moka (PMDB-MS), Blairo Maggi (PR-MT), Hélio José (PSD-DF), Antonio Carlos Valadares (PSB-SE) , Roberto Rocha (PSB-MA) e Lúcia Vânia (PSB/GO). “ A formação do consórcio une os esforços e fortalece a posição do Centro-Oeste no plano nacional. Com isso vamos atuar em bloco na defesa dos interesses da nossa região”, defendeu o senador Delcídio.

O Consórcio foi criado em julho deste ano durante o Fórum de Governadores do Centro-Oeste, realizado em Goiânia, e posterior a isso agregou os estados de Rondônia e Tocantins. O consórcio tem o propósito de trabalhar em cooperação, especialmente nas áreas de educação, infraestrutura, logística, agricultura, energia, turismo, trocando experiências e buscando interesses e esforços conjuntos para a promoção do desenvolvimento da região.

O governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg , disse que o objetivo é criar uma sinergia que possa ampliar o desenvolvimento nacional. "Construímos uma nova geografia política e uma nova forma de agir, buscando a cooperação entre estados que têm muitas coisas em comum", resumiu.

Pedro Taques, governador de Mato Grosso, explicou que o consórcio tem natureza autárquica, com autonomia administrativa e financeira, receita e patrimônio próprios. "A engenharia jurídica do consórcio é uma novidade. Estamos fazendo história, pois falaremos em conjunto para que possamos ser ouvidos, para reivindicar nossos direitos constitucionais, que não estão sendo atendidos".

Reivindicações - Os governadores do Consórcio Brasil Central reivindicam melhor utilização dos recursos do Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO) e consideram que os investimentos feitos pelo fundo estão pulverizados e voltados à atividades convencionais, quando deveriam ser usados em projetos capazes de alavancar o desenvolvimento da região.

Além disso, os estados querem ter voz ativa na definição sobre a aplicação do FCO e pediram aos senadores mudança na legislação, para permitir que 50% dos recursos do Fundo sejam destinados para investimentos em projetos públicos, de governos estaduais e municipais.

Cooperação - O debate na CDR ocorreu nessa quarta-feira (11), um dia depois da oficialização do consórcio e da escolha de Marconi Perillo para presidente do bloco. Ele pediu apoio dos senadores para o que chamou de "federalismo cooperativo".

"Agiremos de forma unida e vamos cooperar e não competir uns com os outros. Queremos deixar um legado para as nossas populações", disse Perillo.

A vocação agropecuária dos integrantes do consórcio foi destacada por todos no debate, bem como sua contribuição para a economia do país. Juntos, os cinco estados e o DF representam 25% do território nacional, geram 11,27% da riqueza do Brasil e reúnem 20 milhões de habitantes.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions