ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUARTA  21    CAMPO GRANDE 23º

Política

Após forte onda de fake news, Justiça Eleitoral reforça checagem de informações

Em um dia, registro de informações falsas passou de 50 para 800

Jéssica Benitez | 08/10/2022 09:37
Informações falsas se propagam nas redes sociais (Foto Tribunal Superior Eleitoral) 
Informações falsas se propagam nas redes sociais (Foto Tribunal Superior Eleitoral)

Somente no último domingo (2) o número de denúncias sobre informações falsas que circulam nas redes sociais e aplicativos de mensagens subiu de 50 para 800 no canal Tira-Dúvidas do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), segundo informou o próprio órgão ao anunciar reforço na checagem das fakes news que ganharam ainda mais força no segundo turno dessas eleições.

A partir de agora, portanto, a ferramenta disponibilizada pela Justiça Eleitoral conta com grupo de checadores para averiguar se o conteúdo repassado é verdade ou mentira. Até então somente organizações de checagem eram parceiras da Corte.

Para utilizar o canal basta adicionar à agenda do celular o número +55 61 9637-1078 ou clicar neste link. Sem seguida é só mandar mensagem para o Tira-Dúvidas e iniciar a conversa.

Assim que a checagem estiver disponível, os usuários serão notificados diretamente pelo chatbot, no celular.  Conforme o TSE, para facilitar o contato, a ferramenta de consulta de informações agora está no topo do menu das opções do assistente virtual.

Para consultar se uma mensagem recebida é fato ou boato via chatbot, é só acessar a opção 'Consulta de Informações' e enviar o assunto para receber imediatamente conteúdos verificados. Vale ressaltar que o conteúdo enviado pode ser texto, vídeo, imagem, áudio ou link.

Ampliação – O eleitor pode também acessar serviço voltado exclusivamente ao esclarecimento de notícias falsas envolvendo o processo eleitoral brasileiro: o “Fato ou Boato?”.

Ao selecionar o tópico, o usuário pode acessar alguns conteúdos desmentidos por agências de checagem de fatos como AFP, Agência Lupa, Aos Fatos, Boatos.org, Comprova, E-Farsas, Estadão Verifica, Fato ou Fake e UOL Confere.

Denúncia – Caso de fato a informação seja mentirosa, é possível usar o mesmo canal para denunciar o conteúdo pelo Sistema de Alerta de Desinformação. Também é possível denunciar números de telefone suspeito de disparo de mensagens em massa.

As denúncias são repassadas às plataformas digitais parceiras da Corte Eleitoral no Programa de Enfrentamento à Desinformação para avaliação sobre se elas representam violações a seus termos de serviço.

Os relatos recebidos também poderão ser encaminhados ao Ministério Público Eleitoral e demais autoridades para adoção das medidas legais cabíveis.

Nos siga no Google Notícias