ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, DOMINGO  19    CAMPO GRANDE 32º

Política

Após mea-culpa de assessora de Bernal, vereadores exigem Pedro Chaves

Por Aline dos Santos e Kleber Clajus | 18/12/2013 12:39
Assessora durante esclarecimentos. (Foto: Kleber Clajus)
Assessora durante esclarecimentos. (Foto: Kleber Clajus)

Suspensão da sessão na Câmara Municipal, reunião a portas fechadas por uma hora e retratação pública na tribuna do Legislativo municipal não bastaram para pôr fim à crise institucional entre a Prefeitura de Campo Grande e os vereadores. Desta vez, o estopim foi a postagem de Márcia Scherer, assessora do prefeito Alcides Bernal (PP), no Facebook. A frase insinuando corrupção provocou a ira dos parlamentares, que agora vão cobrar explicações do secretário municipal de Governo, Pedro Chaves.

Márcia Scherer foi hoje à Câmara para se justificar. Primeiro, participou de uma tensa reunião com os vereadores e o diretor de Comunicação, Djalma Jardim. Depois, foi à tribuna. “Às vezes, por impulso, cometemos erros, que acabam constrangendo. Não foi minha intenção. Não quero insinuar crime com essa postagem. Foi pessoal. Vou responder a tudo, inclusive, juridicamente, se necessário”, justificou a assessora.

Ela postou a seguinte frase: “Falaram: ou você dá o dinheiro, ou você não vai governar. Nós vamos bagunçar seu orçamento e vamos tentar te afastar de todas as formas”, diz o prefeito. “Eu resolvi não dar. Eu prefiro ser cassado do que implementar a corrupção que era antes aqui, e que acontece no Brasil todo”. Ontem, depois de o comentário provocar furor na Câmara, Márcia Scherer afirmou que a postagem se referia a uma matéria da revista Carta Capital, a respeito do prefeito de Itaocara/RJ.

Para Djalma Jardim, a postagem repercutiu porque o “clima é muito quente”. Ele salientou que o comentário foi na página pessoal da assessora e não nos canais de comunicação da Prefeitura.

As explicações dividiram os vereadores. Carlos Augusto Borges (PSB), o Carlão, declarou que acredita nas justificativas. Contudo, disse que a partir de agora vai monitorar o Facebook da comissionada. Já Chiquinho Telles (PSD) se mostrou cético. “Considero ela a rainha da maldade”, declarou. O vereador destacou que a assessora ocupa um cargo na administração municipal. “Ela não é pessoa comum”.

Autor de denúncia à Polícia Civil sobre a questão, o vereador Elizeu Dionízio (SDD) contou não ter visto verdade no olhar de Márcia Scherer. “Não vejo pedido de desculpa e perdão nos seus olhos”. Paulo Siufi (PMDB) recomendou mais cuidado à assessora sobre as postagens nas redes sociais. O vereador Airton Saraiva (DEM) avaliou que o relacionamento entre os Poderes foi estremecido e pediu a convocação de Pedro Chaves.

A convocação do secretário foi endossada por Luiza Ribeiro (PPS), integrante da base aliada do prefeito. Presidente da Câmara, Mário César (PMDB) relatou que os ataques no Facebook são recorrentes. “É a forma de conduta que o prefeito Alcides Bernal vem adotando em sua gestão. Não podemos considerar fato pontual”.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário