ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEXTA  22    CAMPO GRANDE 32º

Política

Após reviravoltas judiciais, André e Bernal nem se cumprimentam em evento

Por Zemil Rocha e Felipe Prado | 23/11/2013 09:36
André praticamente ignorou Bernal durante o evento noturno do PRB (Foto: Felipe Prado)
André praticamente ignorou Bernal durante o evento noturno do PRB (Foto: Felipe Prado)

O primeiro encontro do governador André Puccinelli (PMDB) com o prefeito Alcides Bernal (PP) depois da instalação da disputa judicial, marcadas por reviravoltas, em torno da Comissão Processante da Câmara Municipal de Campo Grande, aconteceu de forma fria, na noite de ontem, durante a posse dos dirigentes do PRB, no Hotel Jandaia.

Convidados para o evento, André e Bernal chegaram em momentos distintos e por acessos diferentes e cumprimentaram todas as lideranças políticas presentes, mas não se apertaram as mãos. À mesa, ficaram sentados em lados, tem o presidente nacional do PRB, Marcos Pereira, que deu posse ao presidente regional, Antonio Vaz, e ao presidente do Diretório Municipal de Campo Grande, vereador Gilmar da Cruz.

Nos pronunciamentos, Puccinelli parabenizou os novos dirigentes do PRB e evitou qualquer comentário sobre o prefeito da Capital. Já Bernal fez questão de enaltecer a presença do governador no evento, além de enfatizar a importância do apoio do PRB à sua administração.

Em entrevista à imprensa, no final do evento partidário, o governador André Puccinelli lamentou a má fase que da administração de Campo Grande, garantindo que só quer uma coisa: o fim do impasse, que deixou a alçada da Câmara de Campo Grande e instalou-se no Judiciário estadual. “Instabilidade política não é boa, nem para a população, nem para quem é cassado. Para todos é ruim”, opinou.

A Comissão Processante da Câmara Municipal foi suspensa mais uma vez, ontem, por decisão do desembargador João Maria Lós. A disputa política foi judicializada e a movimentação de advogados e de lideranças nos bastidores é intensa.

O depoimento do prefeito Alcides Benal à comissão, que estava previsto para segunda-feira (5), deve ser adiado em razão da decisão de Lós, a não ser que nova reviravolta judicial aconteça.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário