ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUARTA  21    CAMPO GRANDE 24º

Política

Aumenta lista de servidores exonerados por corrupção

Na lista publicada hoje aparecem 6 funcionários das secretarias de Administração, Saúde e Educação do Estado

Por Jackeline Oliveira | 30/11/2023 08:01
Viaturas saindo da Cepol com presos da Operação Turn Off (Foto: Alex Machado)
Viaturas saindo da Cepol com presos da Operação Turn Off (Foto: Alex Machado)

As exonerações do secretário adjunto da Casa Civil, Flávio da Costa Brito Neto, e do adjunto da Educação, Edio Antônio Resende de Castro Bloch, foram oficializadas na edição desta quinta-feira (30) do Diário Oficial do Estado, junto com outros dois servidores da Secretaria de Saúde, um da Administração e um da Educação O anúncio das exonerações já havia sido feito ontem (29) por meio de nota oficial emitida pelo Governo do Estado, conforme publicado pelo Campo Grande News.

Edio Antônio foi preso ontem durante a Operação Turn Off do Gaeco (Grupo de Atuação Especial e Combate ao Crimes Organizado) e Gecoc (Grupo Especial de Combate à Corrupção). Já Flávio Britto foi alvo de busca e apreensão, intimado e prestará depoimento nesta quinta-feira na sede do Gaeco.

Na lista de exonerações também estão Simone de Oliveira Ramirez Castro, técnica do pregão de licitações do Estado, e Andrea Cristina Souza Lima, comissionada da Secretaria Estadual de Educação, ambas presas.

O diário traz ainda outras duas exonerações na pasta da Saúde. Márcia Barbosa Borges não havia aparecido ontem na lista de envolvidos, mas nos autos ela aparece como servidora que orientou empresário suspeito de integrar quadrilha de fraudadores a seguir em procedimentos licitatórios. O último exonerado ainda não apareceu oficialmente nas declarações das equipes da operação.

Furgão da Polícia Civil chega com presos ao complexo penal de Campo Grande.
Furgão da Polícia Civil chega com presos ao complexo penal de Campo Grande.

Turn Off - O Ministério Público de Mato Grosso do Sul investiga o desvio de R$ 68 milhões em contratos com empresas que prestam serviços e fornecem produtos para as secretarias de Educação e Saúde de Mato Grosso do Sul. As apurações começaram durante a Operação Parasita, deflagrada no dia 7 de dezembro de 2022.

Segundo o Gaeco, “Turn Off” faz referência ao "primeiro grande esquema descoberto nas investigações, relativo à aquisição de aparelhos de ar-condicionado e decorre da ideia de ‘desligar’ (fazer cessar) as atividades ilícitas da organização criminosa investigada”.

No total, foram cumpridos ontem 8 mandados de prisão e 35 de busca e apreensão. As buscas foram cumpridas em Campo Grande, mas também em Maracaju, Itaporã, Rochedo e Corguinho. Na casa de um dos alvos, foram apreendidos dólares e euros.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News.


Nos siga no Google Notícias