A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

16/03/2015 11:43

Azambuja elogia o protesto pacífico e "ordeiro" e pede reforma política

Leonardo Rocha
Reinaldo afirmou que população quer respostas do governo federal, mas não vê ambiente para impeachment (Foto: Marcelo Calazans)Reinaldo afirmou que população quer respostas do governo federal, mas não vê ambiente para impeachment (Foto: Marcelo Calazans)

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) elogiou o protesto realizado ontem (15), em todo Estado, que pediu mudanças na administração pública e até a saída da presidente Dilma Rousseff (PT). Ele afirmou que a manifestação foi democrática e pacífica, lembrando que a população quer uma resposta do governo federal e também uma reforma política no país.

“Foi uma manifestação legítima e ordeira, que fortalece a democracia, assim como mostra o descontentamento da população em relação ao governo federal. Eles querem respostas sobre os esquemas de corrupção, e situação da economia. Já o Congresso Nacional precisa votar a reforma política, que virou obrigação e agora tem a força da opinião pública”, disse ele.

Reinaldo ponderou que os projetos para coibir a corrupção precisam ser efetivados, assim como a aplicação do dinheiro público de forma transparente. Sobre a alegação da oposição, que o protesto foi da “elite”, contra a presidente Dilma, o tucano ressaltou que não se pode “rotular” ações democráticas e sim apoiar a demanda da população, que quer um país melhor para se viver.

“Você não pode mensurar quem foi ou não, o protesto foi soberano, feito por cidadãos que querem mudanças e estão descontentes, o povo brasileiro deu uma demonstração de civismo, talvez sendo a maior manifestação depois das Diretas Já”, comparou ele.

Impeachment – Sobre os pedidos de saída da presidente Dilma Rousseff (PT), durante o protesto, o governador adotou um tom mais cauteloso, ressaltando que não acredita que exista “ambiente” no momento para o impeachment. "As ações neste domingo não tiveram caráter político e sim de anseio da população por mudanças no país", pontuou.

O protesto reuniu em Campo Grande 32 mil pessoas, que tiveram como pauta principal, o combate a corrupção, reforma política, pedido de saída da presidente Dilma Rousseff, assim como acusações aos políticos envolvidos em esquemas de corrupção, como da Operação Lava Jato.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions