A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 18 de Janeiro de 2018

01/08/2013 17:59

Bernal rebate vereador e diz que não estourou teto de suplementações

Lidiane Kober
Bernal garantiu seguir a lei e não ultrapassar teto de suplementações (Foto: Cléber Gellio)Bernal garantiu seguir a lei e não ultrapassar teto de suplementações (Foto: Cléber Gellio)

O prefeito Alcides Bernal (PP) rebateu, nesta quinta-feira (1), o vereador Elizeu Dionízio (PSL), relator da CPI do Calote, e garantiu não ter ultrapassado o teto de suplementações. De acordo com a legislação municipal, ele só pode suplementar até 5% do orçamento da prefeitura, sem pedir a autorização da Câmara de Campo Grande.

Na terça-feira (30), duas suplementações foram publicadas no Diário Oficial (Diogrande) e somadas às anteriores extrapolaram em R$ 22,9 milhões o teto de R$ 139 milhões permitidos em lei. “Não ultrapassamos o teto”, reagiu Bernal, após sorteio de prêmios do IPTU. O vereador, por sua vez, garantiu que as aberturas de crédito somam R$ 151,9 milhões. O vereador ainda alertou que a irregularidade é passível de cassação.

A maior suplementação publicada na terça, no valor de R$ 5.242.000,00, trata da “necessidade de atender aquisição de materiais de consumo, serviços e obras com recursos do tesouro e federais nas áreas de educação, saúde, assistência social e outras necessidades não previstas com dotação orçamentária suficiente, aprovadas no orçamento para o exercício de 2013”, conforme o Decreto nº 12.175.

Já a segunda abertura de crédito suplementar, divulgada através do Decreto nº 12.175, é na ordem de R$ 266.000,00 para atender “despesas de contratação por tempo determinado e obrigações patronais”.

Armadilhas - Ainda nesta quinta, Bernal aproveitou para reforçar a legalidade da escolha da Salute para oferecer merenda escolar, apesar das críticas dos vereadores e de relatório da Vigilância Sanitária reprovando a empresa por falta de licença. Ele também manteve tom provocante e acusou os antecessores de criar “armadilhas” à sua administração.

“Cada gaveta que abri tinha uma armadilha e um delas foi a da merenda escolar”, disse o prefeito. Ele ainda frisou escolher todos os fornecedores pelo critério do “menor preço e da melhor qualidade”. “Temos que garantir os alimentos, mas não podemos se sobrepor a interesses de fornecedores”, comentou.

Recém-criada, a Salute propôs preços muito abaixo dos praticados no mercado por empresas tradicionais do ramo atacadista para vencer a licitação da prefeitura. Com capital social de R$ 50 mil, a empresa faturou contrato de R$ 4,3 milhões. Desconfiados, os vereadores chegaram a ir na pequena sede da Salute e não encontraram nada.



-Quando o ser humano aceitar que "aqui se faz, aqui se paga"; vão cumprir os deveres assumidos com os semelhantes com dignidade e respeito. Quando isto acontecer, principalmente os políticos, irão trabalhar com honestidade em favor de quem eles representam. Prefiro ser um "pobre" esquecido, do que um político lembrado empobrecido.
 
luis tibo em 02/08/2013 09:21:58
Sobre suplementação se juntar todos os vereadores não dá 10% do conhecimento do prof. Wanderely Ben Hur o secretario e especialista no assunto, senhores vereadores estão subestimando os conhecimentos da população, inclusive a minha que conheço Orçamentos e suas reformulações, está ficando muito claro a situação desses parasitas
 
Guilherme Filho em 02/08/2013 09:15:34
Esses vereadores são muito ruins em matemática. É só calcular cinco por cento do teto. Parem de tanta fofoca e vão trabalhar foi para isso que vocês foram eleitos. Bando de incompetentes.
 
JOSE ALFREDO DE MELO em 02/08/2013 09:01:57
este senhor ainda continua culpando Nelsinho pela sua incompetência na prefeitura se falta recurso na prefeitura e culpa dele mesmo que fez recurso orçamentário muito abaixo que o antecessor dele.
 
valdir zatti em 01/08/2013 21:11:54
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions