A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 17 de Agosto de 2017

11/04/2016 16:42

Bernal se esquiva e diz que não sabe se PP votará em favor de Dilma

Antonio Marques
O prefeito Alcides Bernal disse estar focado na administração da Capital, mas acredita que somente o Poder Judiciário poderia decidir sobre o impeachment da presidente Dilma Rousseff (Foto: Antonio Marques)O prefeito Alcides Bernal disse estar focado na administração da Capital, mas acredita que somente o Poder Judiciário poderia decidir sobre o impeachment da presidente Dilma Rousseff (Foto: Antonio Marques)

O prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), disse não saber se toda a bancada do seu partido acompanhará resolução da Executiva Nacional de votar contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). Ele, que é vice presidente nacional da legenda, preferiu sair pela tangente e declarar estar focado na administração da Capital, onde sofreu processo parecido e ficou um ano e meio fora da Prefeitura depois de ser cassado pelo Poder Legislativo.

Durante evento de inauguração do Caps (Centro de Atenção Psicossocial) III da Vila Margarida, ele declarou que somente o Poder Judiciário pode dirimir o conflito de interesses do processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff, em que até o vice-presidente Michel Temer estaria fazendo campanha contra a titular do cargo.

Ele disse que seu partido elaborou uma resolução de não apoiar a cassação da presidente Dilma Rousseff, mas revelou não saber se a bancada toda vai acompanhar a decisão. “Estou muito focado na administração de Campo Grande e em ter um bom relacionamento com o governo federal, pois dependemos muito de verbas da União e os recursos precisam chegar”, comentou.

No entanto, Bernal disse que é preciso respeitar o voto dos eleitores. “Acho que ninguém melhor que o Poder Judiciário para resolver esse problema. Você tirar a Dilma para colocar Michel Temer ou Eduardo Cunha. Não sei se o povo quer isso”, questionou ele.

Ao contrário do que acontece na relação com a Câmara Municipal, o prefeito defende que é necessário de “paz, harmonia e deixar o Poder Judiciário trabalhar nos processos que estão tramitando”. Segundo Bernal, só mesmo a Justiça para dirimir esse conflito de interesse, em que o próprio vice está fazendo campanha contra a presidenta.

Questionado se considerava o processo contra Dilma Rousseff parecido ao que ele sofreu na Capital, o prefeito respondeu que não, em razão de alguns fatos ocorridos em Brasília, que ele não quis detalhar. Mas foi incisivo em dizer que “a máfia da Coffee Break ofereceu dinheiro e a Polícia Federal e o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) descobriram e falta tomarem providências”, lembrou.

“Todo mundo sabe o quem foi, quando foi, como foi, quanto custou e o prejuízo imenso para toda a sociedade”, declarou ele sobre a operação que investigou o envolvimento de vereadores, o ex-vice-prefeito afastado, Gilmar Olarte, e empresários da Capital que teriam montado uma trama para tirá-lo do cargo.

Para ele, é uma questão de tempo para o Ministério Público Estadual apresentar as denúncias, solicitar as prisões que devem pedir e o Poder Judiciário, segundo o prefeito, analisar com critério técnico e com base nas provas, decretar a prisão das pessoas que foram flagradas conversando. “Não é ninguém dizendo eu acho, eu vi. Aqui não precisa de delação premiada. É voz de quem praticou o crime”, afirmou Bernal.

Três dias depois de o presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira (PI), anunciar o apoio da legenda ao governo federal, o diretório do Paraná disse que não seguiria a resolução, considerando a presidente Dilma não teria mais apoio para governar.

De acordo com Ciro Nogueira, dos 57 parlamentares do partido, mais de 40 queriam permanecer no governo. 

Entidades pressionam Bernal para que assine a liberação de R$ 2,2 milhões
Entidades assistenciais mantidas pela Prefeitura de Campo Grande pressionam o prefeito Alcides Bernal (PP) para que assine a liberação de R$ 2.258.00...
Defensoria defende e isenta vereadores em ação contra cassação de Bernal
A Defensoria Pública assumiu a defesa de vereadores na ação popular que resultou no retorno de Alcides Bernal (PP) à prefeitura de Campo Grande. Sem ...



E agora aparece uma gravação do Temer, já se proclamando Presidente, escancarou o golpe, será que o PP vai se locupletar com isso? O Temer pensa que pode tudo, ele é satãnista (vide google - religião de Temer); ele acha que o pacto que ele fez com o demônio já o levou à Presidência. E ele conta, pasmem, com a ala evangélica do Congresso. Será que todos sabem desse pacto? O que esses evangélicos dirão aos seus pares nas igrejas? Mas isso não vai acontecer, Temer e Cunha não lograrão exito, existe uma força maior e essa força sempre prevalecerá. DEUS É MAIOR!!!!!!!!!
 
Almir Damus em 11/04/2016 17:37:36
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions