ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEGUNDA  18    CAMPO GRANDE 22º

Política

Câmara deixou de ser “bicho papão” e Bernal perdeu o discurso, diz Mario Cesar

Por Josemil Arruda e Lidiane Kober | 13/12/2013 21:51
Mário Cesar, entre duas vereadoras, durante coletiva esta tarde (Foto: Izaias Medeiros)
Mário Cesar, entre duas vereadoras, durante coletiva esta tarde (Foto: Izaias Medeiros)

O presidente da Câmara de Campo Grande, vereador Mario Cesar (PMDB), afirmou nesta sexta-feira, em entrevista coletiva, que cinco pesquisas de opinião pública encomendadas por ele demonstram que melhorou a imagem do Legislativo Municipal perante a população da Capital. “Cinco pesquisas mostram que a imagem da Câmara está melhor”, afirmou o dirigente. “Revelam que população esta vendo que Câmara não é esse bicho papão. Estão mostrando que os vereadores só estão cumprindo seu papel”, apontou.

A revelação foi feita ao ser indagado sobre se a abertura de uma nova Comissão Processante contra o prefeito não poderia desgastar a imagem da Câmara, visto que remanejamento de verbas orçamentárias não é roubo nem desvio. “Realmente não tem desvio, mas tem de saber como foi a aplicação desses recursos, a real necessidade, ainda mais no momento que faltava medicamentos, tinha problema de falta de merenda nos Ceinfs”, disse o peemedebista.

Para Mario Cesar, o prefeito acabou perdendo o discurso de que a Câmara o perseguia depois que o Tribunal de Contas e o Ministério Público tomaram posições que avalizaram cobranças feitas pela Câmara quando aos contratos emergenciais, com dispensa de licitação, e aos remanejamentos de verbas orçamentárias, sem autorização legislativa.

“Antes o prefeito dizia que Câmara não deixava ele trabalhar, que veio como se fosse o salvador da pátria e alegava que os vereadores ficavam atrapalhando”, lembrou-se o presidente do Legislativo Municipal. “Mas a população começou a perceber que a Câmara está só cumprindo o seu papel de fiscalização, que era aquilo que se cobrava dela antes”, acrescentou.

Ao avaliar as pesquisas, Mario Cesar diz ter constatado que a credibilidade do prefeito sofreu queda. “Não tem esse tamanho todo e a capacidade de administrar”, avaliou, observando que os campo-grandenses se desiludiram. “Como grande comunicador, ele conseguiu passar a idéia de que não deixavam ele trabalhar”, lembrou.

Também teria contribuído para desgastar a imagem do prefeito Alcides Bernal, na avaliação de Mario Cesar, a sucessão de erros de sua equipe, especialmente na área orçamentária. “O Orçamento veio errado, o PPA a LDO”, criticou. “A LDO não veio de acordo com o orçamento e aí teve de refazer”, emendou.

Por último citou dois projetos enviados ontem pelo prefeito para corrigir erros nas duas leis, aprovadas pela Câmara a partir de mensagens enviadas pelo Executivo, sobre empréstimos que somam R$ 432 milhões para o PAC Mobilidade e pavimentação asfáltica.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário