ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, QUINTA  13    CAMPO GRANDE 31º

Política

Câmara fará debate antes de votar projetos polêmicos sobre servidores

Prefeitura enviou propostas em dezembro, mas Casa de Leis não colocou em votação "na última hora"

Por Caroline Maldonado | 24/01/2024 11:07
Presidente da Câmara Municipal, vereador Carlos Augusto Borges, o “Carlão” (PSB), manuseia projetos de lei durante sessão em dezembro. (Foto: Divulgação/CMCG)
Presidente da Câmara Municipal, vereador Carlos Augusto Borges, o “Carlão” (PSB), manuseia projetos de lei durante sessão em dezembro. (Foto: Divulgação/CMCG)

Depois de evitar a votação de projetos que alteram leis referentes aos servidores da Prefeitura de Campo Grande, na última sessão de 2023, a Câmara Municipal fará reuniões e até uma audiência pública para abrir o debate após o fim do recesso parlamentar. A primeira sessão do ano será no dia 2 de fevereiro.

Os projetos enviados pela prefeita Adriane Lopes (PP) são para atender compromissos previstos em TAG (Termo de Ajustamento de Conduta) firmado com o TCE (Tribunal de Contas do Estado) para aumentar a receita do município e diminuir despesas com pessoal, após fiscalização do órgão que apontou indício de uma “folha secreta”.

O presidente da Casa de Leis, vereador Carlos Augusto Borges, o “Carlão” (PSB), adianta que o projeto terá várias emendas dos parlamentares, que buscarão um consenso a pedido de sindicalistas que se preocupam com os impactos das alterações.

“No momento do recesso legislativo, não conta o tempo em que o projeto chega na Casa. Então é um projeto que tem praticamente cinco dias só e o prazo de votação é de 40 dias. Então, temos esse mês de fevereiro todinho e o início de março que vai vencer o prazo de votar”, comentou Carlão.

A ideia é fazer uma audiência pública nesse meio tempo para ouvir servidores, sindicalistas e secretários que possam esclarecer dúvidas. Representantes de 31 categorias contrárias às iniciativas da prefeitura já se manifestaram.

O secretário municipal de Governo e Relações Institucionais, João Rocha, afirmou, no mês passado, que o texto do Projeto de Lei nº 190/2023, que prevê a qualificação técnica e afinidade com cargos comissionados, ainda sofreria alterações após as reuniões com os sindicalistas, dentre eles servidores médicos, enfermeiros, guardas civis, auditores, assistentes sociais e arquitetos, que têm receio de que haja perdas aos efetivos.

Chegaram à Casa de Leis em dezembro projetos para reestruturar o regime próprio da previdência e para alterar o Código Tributário do Município, além dos voltados aos servidores.

Como a Câmara Municipal está em recesso, o presidente se reunirá na segunda semana de fevereiro para verificar quais dos projetos enviados em dezembro continuam em tramitação e se a prefeitura fará a retirada de algum para alteração antes das discussões e, finalmente, as votações.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias